Notícias
16 | Agosto
Manchete do dia 16/08/2017
Colaboradores da Cooper A1 se mobilizam em projetos e ações sociais
Publicado em: 16/08/2017

Atitudes que dão valor à vida e inspiram boas ações. Centenas de colaboradores voluntários da Cooper A1 estão doando, principalmente, um pouco do seu tempo em prol do próximo. As ações sociais, iniciadas em julho em virtude da passagem do Dia Internacional do Cooperativismo, estão tendo um caráter contínuo. A matriz e as unidades, seguindo os princípios universais do cooperativismo, estão formando uma grande corrente do bem e organizando atividades beneficentes voltadas a entidades e pessoas.

Colaboradores da matriz da Cooper A1 e da unidade de Palmitos, que formam o Grupo de Voluntários – “Fazer o bem faz parte da gente”, realizaram na Associação Núcleo de Profissionais Amigos dos Idosos a continuidade nas atividades de melhorias e limpeza, como reparos na parte elétrica e em móveis, bem como cuidou da horta implantada ainda julho. Além disso, passaram momentos de confraternização com os moradores do local, compartilhando histórias e momentos com os idosos.

Em Planalto, RS, colaboradores se reuniram em mutirão para iniciar a revitalização da horta do hospital do município. Com a ação, os voluntários pretendem produzir alimentos de qualidade e de forma solidária para o autoconsumo da entidade hospitalar. A unidade da cooperativa fez a doação das mudas de hortaliças e, o mais importante, organizou a mão-de-obra e fará a manutenção contínua do espaço.

Em Mondaí funcionários da Cooper A1 e do Sicoob Oestecredi tiveram uma atitude solidária e de amor ao próximo ao doarem algo muito valioso: seu sangue.

A Campanha “Ajude a abrir as portas da imaginação: doe livros”, idealizada pela unidade da Cooper A1 de Itapiranga foi um sucesso. Centenas de livros de literatura infanto-juvenil e brinquedos foram arrecadados, no período de 1º a 15 de julho, na Cooper A1 e nas cooperativas apoiadoras da ação.

Em Pinhal, RS, a Cooper A1, em parceria com o Sicredi, arrecadou mais de 100 quilos de produtos de limpeza, para o Hospital São José, de Rodeio Bonito.

Além destas, no dia 1º de julho, as unidades da Cooper A1 se mobilizaram em prol da comunidade. Como em Iporã do Oeste, com o “Almoço da Cooperação” com a doação dos alimentos e o valor com a venda das fichas, foram quase 600 almoços, todo revertido ao Hospital Nossa Senhora das Mercês.

Em São João do Oeste, a “Mateada e Almoço Cooperativo” foi uma grande ação comunitária que movimentou o município, com atividades de utilidade pública na praça, além de mais de 800 almoços vendidos, e cujo lucro revertido foi à manutenção das atividades do hospital local.

Já em Vista Gaúcha, RS, a Cooper A1 fez força no mutirão formado por voluntários da Cooper A1, Sicredi e Cooperativa Mista de Vista Gaúcha, que realizaram o projeto de revitalização da quadra de esportes da comunidade Saltinho do Guarita. Em Erval Seco, RS, a Cooper A1 e o Sicredi doaram o material para revitalização de uma área do hospital do município, que está passando por dificuldades financeiras.

Fonte: Cooper A1

Sicredi ultrapassa R$ 1 bi em incremento na Carteira de Poupança no ano
Publicado em: 16/08/2017

O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,5 milhões de associados e atuação em 21 estados brasileiros – atingiu, em julho, um incremento acumulado de R$ 1 bilhão na captação de poupança no ano, considerando novas aplicações, menos depósitos, mais rendimentos pagos. No Brasil, o incremento da Carteira de Poupança no mercado financeiro, no mesmo período, foi de R$ 17,3 bilhões, segundo dados do Banco Central, sendo o Sicredi responsável por 5,8% deste crescimento.

Ainda no mês de julho, o valor da Carteira de Poupança no Sicredi superou a marca de R$ 8 bilhões, acumulando um crescimento de 17% em 2017. Os motivos para estes resultados são diversos, mas entre eles, um se destaca: o associado sabe que o valor depositado fomentará o crescimento econômico da sua região, já que retorna à comunidade por meio do crédito rural.

Outro fator que contribuiu para o incremento da poupança é o constante incentivo que, em suas 117 cooperativas de crédito filiadas, o Sicredi faz aos associados para criação do hábito de poupar e de planejar o futuro para conquistarem seus objetivos, realizando campanhas e ações locais para estimular as programações mensais de aplicação em poupança.

Além disso, o modelo de negócio cooperativo permite que os associados se beneficiem de duas maneiras por seus depósitos em poupança: com a própria remuneração do investimento e também com a distribuição dos resultados da cooperativa de crédito, definido em assembleia.

O desempenho da poupança no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina ultrapassou os R$ 4,16 bilhões de janeiro a julho de 2017, registrando crescimento de 11,5% no período. Entretanto, no compilado da captação da Carteira em 12 meses, o crescimento passou dos 29,9%.

Gaúchos e catarinenses são responsáveis por mais de 50% de toda a captação do Sistema Sicredi no país. “Este resultado que endossa o trabalho incansável das nossas 42 cooperativas filiadas, no empenho de qualificar o relacionamento com os associados lhes proporcionando uma cultura de poupador”, pondera Fernando Dall’Agnese, presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste.

Fonte: Sicredi

Agro brasileiro continua com a responsabilidade de sustentar os superávits comerciais
Publicado em: 16/08/2017

O agronegócio brasileiro vai continuar nos próximos anos com a responsabilidade de sustentar os superávits comerciais brasileiros, pautado na exportação de commodities para mais de 200 países. No entanto, o Governo precisará se preocupar cada vez mais com o mercado internacional, pois existe risco grande de redução de exportação dos produtos brasileiros no Ocidente. A saída estará na Ásia, que detém 61% do mercado mundial, com destaque para China, Índia, Indonésia, Japão e Coréia do Sul, que já se consolidam como grandes consumidores do futuro. O Brasil precisa se inserir urgentemente nesses mercados mais dinâmicos.

Esse foi o principal recado passado por dois dos melhores especialistas brasileiros em questões globais do agronegócio: Marcos Sawaya Jank, consultor da Agência para o Programa de Acesso a Mercados do Agronegócio e Alimentos (PAM-Agro); e Augusto Castro, gerente executivo da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Ambos participaram de uma videoconferência com a diretoria da Embrapa, com transmissão para todas as Unidades Descentralizadas, e falaram sobre como agregar valor à parceria comercial com os países asiáticos, destacando a importância da presença naquele mercado e a busca por melhoria na qualidade dos produtos exportados – onde a Embrapa tem papel estratégico.

“Esse tema muito nos interessa, porque o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento conta com a Embrapa para ajudar a Apex-Brasil em sua missão”, afirmou o presidente Maurício Lopes no início do encontro. “O continente asiático é também mercado para nossas tecnologias, mas acima de tudo temos o compromisso de auxiliar políticas públicas com estudos e dados qualificados, que possam embasar a criação de uma imagem positiva dos produtos brasileiros nesses mercados e a defesa dos interesses brasileiros”, completou.

Jank apresentou pontos da estratégia delineada pela Apex para os próximos meses e anos para aumentar a exportação de produtos brasileiros, relatou os problemas que o país vem atravessando no mercado internacional de carnes por conta dos desdobramentos da operação Carne Fraca e das denúncias envolvendo dirigentes da JBS e da preocupação com o baixo valor agregado dos nossos produtos exportados. “Temos que exportar menos commodities e cada vez mais produtos com valor agregado”.

O consultor solicitou maior colaboração da Embrapa na geração de informação qualificada sobre os produtos brasileiros. Sugeriu até a criação de um site ou página especial para ser utilizada em eventos internacionais, que possam mostrar que os produtos nacionais exportados tem qualidade, são produzidos sem gerar desmatamentos ou trabalho escravo e são fruto do conhecimento tropical gerado por cientistas reconhecidos no mundo inteiro. E finalizou, apontando cinco desafios internacionais para o país: competitividade, acesso a mercados, valor adicionado, melhoria da imagem e internacionalização.

Elísio Contini, chefe da Secretaria de Inteligência e Macroestratégia (SIM), considerou o evento positivo e importante para consolidar uma parceria mais estreita com a Apex. “A pedido do presidente, vamos coordenar a partir do segundo semestre deste ano esses estudos qualificados sobre os produtos brasileiros voltados para exportação, mobilizando observatórios, Unidades, portfólios e arranjos”, adiantou.

Participaram da videoconferência representantes de todas as UDs e dos observatórios do Agropensa e também gestores e técnicos das principais UCs envolvidas com o tema.

Fonte: Embrapa

Sicoob Credial celebra 32 anos marcado por histórias de sucesso
Publicado em: 16/08/2017

A cooperativa de crédito Sicoob Credial de Cunha Porã completou 32 anos de história no último dia 8, associando realização pessoal ao desenvolvimento das comunidades onde atua. Consolidado como uma das mais importantes cooperativas de crédito da região e estando entre as 100 maiores do Brasil segundo ranking de cooperativismo de crédito do país, o Sicoob Credial foi fundado por 28 associados e passou a funcionar para atendimento ao público em agosto de 1985. Na atualidade, contabiliza mais de 32 mil associados, distribuídos em 10 agências, sendo a sede em Cunha Porã e as demais localizadas em nove municípios: duas em Maravilha, uma em São Carlos, uma em Cunhataí, uma em Iraceminha, uma em Flor do Sertão, uma em São Miguel da Boa Vista, uma em Santa Terezinha do Progresso, uma em São José do Laranjal e uma em Tigrinhos.

Com mais de três décadas de atuação, o Sicoob Credial administra um montante superior a R$ 700 milhões, cifra esta que consolida uma significativa participação na expansão econômica regional. “São recursos captados na região que são investidos no agronegócio, comércio, indústria e prestação de serviços, impulsionando a economia local. Sabemos que nada disso seria possível sem o apoio de nossos associados e do trabalho incansável de todo quadro funcional. Ao completarmos 32 anos de funcionamento queremos fazer uma breve pausa em nossas atividades rotineiras, não somente para refletir o tamanho de cada conquista, mas também, como forma de agradecimento a cada um que acredita na filosofia do cooperativismo e tem impulsionado nosso contínuo crescimento”, destaca o diretor executivo do Sicoob Credial, Márcio Luiz Schmitt.

Associados avaliam

Associados ao Sicoob Credial desde 1985, dois dos 28 sócios fundadores da cooperativa de crédito, o agricultor da Linha Campinas, interior do município de Iraceminha, Germano Trombetta e o técnico agrícola e empresário, Mário Aloísio Franz da cidade São Carlos, destacam a satisfação de terem participado do início das atividades do Sicoob Credial. “É uma honra fazer parte desta história promissora. Para nós, sem dúvidas, poder acompanhar este crescimento é um privilégio”, enaltece Franz. Os dois lembram que ao longo dos anos a instituição celebrou várias conquistas e teve de superar muitos obstáculos. Situações estas que solidificaram a cooperativa de crédito que desde o princípio tem o lema do cooperativismo como sua principal filosofia. “O Sicoob Credial foi fundado com a ideia de auxiliar agricultores e empresários na administração de seus negócios. Foi uma ideia que deu muito certo e os 32 anos de história comprovam isso”, ressalta Trombetta.

Outro associado ao Sicoob Credial, o agricultor da Linha Nova Brasília, interior do município de Maravilha, Rudimar Hanoiser ressalta a praticidade, o bom atendimento e a maneira diferenciada em que a cooperativa trata seus associados. “É como se fosse a nossa segunda família. Estão sempre dispostos em nos atender bem e nos oferecer os melhores serviços. Estou muito satisfeito com o sistema e com a maneira em que somos recebidos pelos colaboradores do Sicoob Credial, pois aqui todas as nossas necessidades e expectativas são correspondidas”, destaca o agricultor. Rudimar é associado desde 2011, mas seu pai, Albano Hanoiser é um dos sócios mais antigos da instituição financeira. “Meu pai é sócio desde 1985. Hoje com 80 anos, mas ainda na ativa, ele me repassou a tarefa de administrar os ganhos da propriedade”, conta o agricultor que trabalha com os familiares na produção de grãos, em Maravilha. “Estamos muito satisfeitos, lá em casa, praticamente todos têm conta no Sicoob Credial, para nós é uma cooperativa de confiança e credibilidade. Estamos todos muito satisfeitos e felizes com essa parceria que tem nos ajudado a realizar muitos de nossos sonhos”, revela Rudimar.

Expansão

Com o crescimento regional e com a expansão de seus serviços ao longo dos anos, o presidente do Sicoob Credial, Hermes Barbieri, comenta sobre as inovações estruturais que estão sendo realizadas para oferecer aos associados ainda mais conforto, bem-estar, segurança e comodidade. A primeira delas é a ampliação do espaço físico na sede administrativa de Cunha Porã que passará a contar com uma área construída de 340 m². Além desta obra, ainda há a construção da sede própria da agência em Tigrinhos que será edificada em um terreno de quase 620 m² e terá aproximadamente 300 m² de obra. Conforme os engenheiros da construtora responsável execução dos projetos, as duas edificações estão previstas para serem concluídas e entregues em dezembro deste ano. “Com a construção de Tigrinhos estamos terminando a 10ª agência própria em nove municípios da nossa área de atuação – sendo duas em Maravilha. Tudo isso é graças à confiança depositada pelo nosso quadro de associados, em movimentar suas economias juntamente com a cooperativa”, comenta Barbieri que complementa: “Para a cidade que recebe uma agência do Sicoob é uma demonstração de que nós acreditamos na comunidade e por isso realizamos os investimentos”, finaliza o presidente.

Fonte: Sicoob Credial

Tecnologia no campo: SC é paradigma nacional
Publicado em: 16/08/2017

Por José José Zeferino Pedrozo – presidente da Faesc e do Senar/SC

Consistentes e continuados investimentos em capacitação profissional são sustentados, nas últimas duas décadas, para a qualificação do produtor rural e sua elevação à condição de empresário rural. Esses investimentos são assegurados pelos órgãos do chamado Sistema S – Senar, Sebrae e Sescoop – com recursos derivados das próprias categorias econômicas.

Esse esforço se refletiu na melhoria da qualidade da gestão dos estabelecimentos rurais, otimização dos recursos naturais, racionalização da produção e melhoria da produtividade. A combinação desses fatores resultou no aumento dos resultados econômicos. Os Sindicatos Rurais e as cooperativas agropecuárias foram importantes articuladores nesse processo de transferência de conhecimento e tecnologia para o campo.

Com mais recursos disponíveis e com a iluminação proporcionada por treinamentos de qualidade – e aqui é necessário realçar o avançado programa de assistência técnica e gerencial (ATeG) criado pelo Senar – o produtor/empresário rural passou a acessar e consumir recursos tecnológicos em vários formatos e plataformas. Essa realidade foi sobejamente mensurada pelo Sebrae na pesquisa “Tecnologia da Informação no Agronegócio”. Ela constatou, por exemplo, que 92,6% dos produtores rurais catarinenses usam aparelhos celulares. A pesquisa também revela que, em Santa Catarina, 53,9% dos produtores já fizeram alguma compra pela Internet ou já usaram a Web para efetuar vendas, sendo que 7,5% possuem home page ou web site. Os agricultores estão presentes também nas redes sociais: 21,1% possuem Facebook, 5,3% Twitter e 4,5% Instagram.

As deficiências da internet são um gargalo no meio rural, mas há um esforço integrado para modernização do universo rural. Preocupada com o acúmulo de obrigações impostas aos produtores rurais, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) elaborou programas de computador para os produtores melhor se informarem sobre as exigências da legislação quanto a índices de produtividade e indicadores ambientais, o que permite declarar de forma mais eficiente aos órgãos federais os dados sobre a propriedade exigidos por lei. Podem, também, preparar-se para enfrentar com mais segurança eventuais fiscalizações do Incra e Ibama. Técnicos da CNA e de Federações da Agricultura também desenvolvem programas de preenchimento da Declaração para Cadastro de Imóveis Rurais e do Ato Declaratório Ambiental.

Outro exemplo é a Secretaria da Agricultura que também investe em programa de informatização do campo, criando comunidades digitais e investindo em ferramentas para levar sinal de Internet e telefonia móvel para municípios com carência em infraestrutura de comunicação básica. Santa Catarina tornou-se um paradigma nacional do crescente emprego de tecnologias no campo.

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000