Notícias
14 | Agosto
Manchete do dia 14/08/2017
Santo de casa não faz milagre?
Publicado em: 14/08/2017

Por Ivan Ramos – diretor executivo da Fecoagro

Existem alguns ditados populares que refletem com exatidão o que acontece no dia a dia das pessoas. Muitas vezes são frases de efeito, outras vezes é realidade vivida e se tornam conhecidas e praticadas pela população. O ditado que ressalto hoje é o ‘Santo de casa não faz milagre’ e que tem sua dose de verdade e entrou no dito popular. Usamos ele para ressaltar que muitas vezes somos reconhecidos fora de casa, (da cidade ou do Estado) e pouco aplaudidos dentro do ambiente de trabalho; da família; na comunidade e assim por diante. Certamente todos nós já vivemos isso uma vez na vida. Por exemplo, de sermos elogiados pelo vizinho pela nossa conduta e criticados por alguém da própria família. Ou sermos bem referidos em outras empresas e poucos valorizados na nossa. Não se pode generalizar evidentemente, mas com certeza isso acontece. Há casos em que as aparências enganam, mas em geral, é assim mesmo.

Fazemos essa citação para enfocar a atuação do nosso cooperativismo de SC. Não são poucas as pessoas que têm nosso cooperativismo como exemplo de sucesso, de união ou intercooperação.

A própria Fecoagro tem sido requisitada com frequência para mostrar em outros Estados, o trabalho que executa em SC, na área de comunicação e intercooperação. Já foi expositora de sua estrutura em diversos Estados, e na última semana foi a vez do Estado da Bahia que convidou a entidade para mostrar o segredo do sucesso no Fórum de Cooperativas Agropecuárias em Salvador.

Evidentemente que nem tudo por aqui são flores. No nosso jardim também tem espinhos. Temos divergências de opiniões e de comportamentos e existe espírito individualista também, mas comparado com os outros, somos considerados eficientes e diferentes.

Na verdade o trabalho de união, integração e intercooperação é um sacerdócio permanente. Nos seus 42 anos de existência, boa parte deles a Fecoagro tem destinado a pregar que precisamos estar unidos, independentemente do porte das cooperativas ou de seus associados. Existem argumentações em outros Estados que por terem cooperativas grandes ou produtores maiores, torna-se difícil de unir.

É difícil não entender que mesmo os grandes conseguem ser ainda maiores se estiverem unidos com os menores. Grandes não perdem seu status por estarem unidos com menores. Somente a falta de confiança nos gestores ou o egoísmo de alguém pode pensar e agir diferente. Se faltar confiança nos gestores, o sistema de gestão democrática pode trocar seus dirigentes e executivos, e preservando assim o sistema e não as pessoas.

Já temos muitos exemplos por esse país a fora, de que mesmos grandes corporações, cooperativistas ou não, unidos trouxeram resultados positivos para todos.

Também, já temos exemplos de que grandes isolados ficaram na estrada por falta de humildade e espírito de união.

Tudo é aprendizado, e somente o tempo pode mostrar que a união faz força.

O cooperativismo catarinense é modelo nacional, dizem alguns. A integração e a intercooperação praticada por aqui causa inveja branca a muita gente pelo país, mas somente com a conscientização dos seus integrantes, dirigentes ou associados, conseguiremos avançar ainda mais.

Se somos modelo nacional, isto é, sermos reconhecidos lá fora é porque temos algo de positivo, muitas vezes pouco valorizado por aqui. Nesse particular vale o ditado popular: ‘Santo de casa não faz milagre’. Pense nisso.

Sicoob apresenta duas palestras na Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito 2017
Publicado em: 14/08/2017

O Sistema de Cooperativas de Crédito Sicoob participou da Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, promovida pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu) em Viena na Áustria e, pela primeira vez, o Sistema apresentou um dos seus casos de sucesso e participou de debates em painéis durante o evento.

O superintendente de Sistemas de Informação, Edson Lisboa, debateu sobre o tema “Colaboração e tecnologia para o crescimento” em um painel com mesa redonda, juntamente com o executivo Simon Vincent e o CEO Bill Maurin, mediados pelo economista Robert Eyler. Segundo ele, foi um momento muito importante para o Sicoob. “O Sicoob, por meio do Sisbr, vem se destacando em automação tecnológica voltada para o crescimento dos negócios das instituições financeiras cooperativas no Brasil. Muitos representantes de outros países nos procuraram após a palestra para obterem maiores detalhes, inclusive, com interesse em agendar visitas ao Sicoob”, afirmou.

O presidente do Bancoob, Marco Aurélio Almada, na companhia de diretor Financeiro do Bancoob, Ricardo Simone, debateu sobre “Economia Colaborativa Aumentada – Perspectiva dos Bancos Cooperativos” em mesa redonda com a presidente da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), Monique Leroux – mediados pelo especialista em inovação estratégica da Shakesteer, Fotis Filippopoulous. O debate entre os executivos do Bancoob e a presidente da ACI reforçou a necessidade das cooperativas tornarem as empresas mais competitivas e inovadoras. Para eles, a evolução cooperativa deve ocorrer na mesma velocidade que das demais empresas, acompanhando o desenvolvimento de soluções e aplicações que atendam de forma completa seus associados.

Além das palestras, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer casos de sucesso de cooperativas de crédito com temas diversos ligados à inovação, tecnologia e desenvolvimento.

A participação do Sicoob no evento faz parte do “Projeto de Intercâmbio Internacional e Visitas Técnicas” estruturado pela Universidade Sicoob e coordenado pela Área de Planejamento Estratégico do Sicoob Confederação, que promove a formação dos dirigentes e conselheiros por meio da participação em eventos cooperativistas. O Sicoob participa da Conferência pelo programa de formação de dirigentes desde 2014 e, este ano, estiveram presentes 23 dirigentes.

O vídeo da apresentação do painel de “Colaboração e tecnologia para o crescimento” do superintendente de Sistemas de Informação, Edson Lisboa, está disponível em inglês no link para baixar: https://goo.gl/CDEXop

Já a apresentação em português está disponível no link: https://goo.gl/EN4nZ7

Para mais informações sobre a Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, acesse: http://www.wcucvienna2017.org

Fonte: Sicoob Confederação

Nova emissora na Rede Catarinense de Comunicação Cooperativista a partir do dia 15/08
Publicado em: 14/08/2017

Mais uma emissora de SC passa a integrar a Rede Catarinense de Comunicação Cooperativista a partir de amanha terça-feira dia 15/08 Rádio Cidadania FM 87,9 de Mafra passa a transmitir o Agronegócio Hoje de segunda à sexta-feira às 6h e o Informativo Agropecuário irá ao ar todos os sábados às 07h30min. A região de cobertura da Rádio Cidadania 87,9 é atendida pela Cooperalfa.

O município de Mafra

Constituindo núcleo único, a cidade de Mafra tem sua história estreitamente vinculada à cidade de Rio Negro – Paraná. A região foi cortada do Sul ao Norte pelos destemidos tropeiros, ligando a capitania de São Pedro do Sul a São Paulo. O que existia na época era uma vereda aberta na mata pelo próprio gado, acarretando grandes prejuízos, com perdas de homens e animais. Em 1732, o bandeirante e tropeiro Cristóvão Pereira de Abreu, oficializa a abertura da Estrada da Mata, passando com 3000 mil cabeças de gado, entre mulas, cavalos e bestas.

Em 1816, os tropeiros requereram a D. João VI a abertura de um caminho entre a Vila de Lages – SC e Lapa – PR, trecho que até então era um sertão com toda espécie de perigos, totalizando 40 léguas.
Com o passar dos anos, D. João VI reconheceu que São Paulo ficaria prejudicada com o consumo incerto do que viesse desta região, em virtude das inúmeras dificuldades e mandou elaborar um plano para a abertura da referida estrada que recebeu várias denominações: Estrada Real, Estrada do Sertão e então “Estrada da Mata”. Por ela se pretendia ligar a Província de São Paulo ao Rio Grande do Sul.

Em 1917 foi instalado o município, à margem esquerda do Rio Negro, que passou a denominar-se Mafra em honra e memória do Dr. Manoel da Silva Mafra, defensor de Santa Catarina na pendência.

A região onde se desenvolveu a comunidade de Mafra é altamente rica em reservas florestais, principalmente de pinheiro-araucária, erva-mate e outras espécies, que passou a representar por muitos anos sua principal atividade, da extração florestal, que permitiu o assentamento dos primeiros colonos, que mais tarde passariam a desenvolver as atividades da agropecuária de subsistência.

Mafra é um município brasileiro do Planalto Norte do Estado de Santa Catarina. Localiza-se a 310 km da capital Florianópolis. Sua população, segundo estimativa do IBGE em 2016, era de 55.611[3] habitantes. Suas principais atividades econômicas são a agropecuária e indústria, além de ser um importante entroncamento rodoferroviário na região. Possui uma área de 1.406 km², que representa aproximadamente 1,47% da área total do Estado; é o 4º maior município em extensão territorial de Santa Catarina. O clima é temperado, com temperatura média entre 15 °C e 25 °C.
Mafra é considerada cidade polo do Planalto Norte Catarinense.

Nossas boas vindas Rádio Cidadania FM 87,9 de Mafra e a partir de amanhã (15) os agricultores da localidade terão muito mais informações de interesse de todas as regiões do Estado de SC.

Fontes: Fecoagro/IBGE/Wikipédia

Santa Catarina tem programa voltado para o melhoramento genético do rebanho bovino
Publicado em: 14/08/2017

O grande segredo para aumentar a qualidade do rebanho catarinense está no melhoramento genético dos bovinos. Atenta à demanda dos produtores rurais, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca criou o Projeto Especial de Apoio à Aquisição de Reprodutores Bovinos de Raças de Corte, que oferece financiamentos para que os produtores rurais possam investir no seu rebanho.

Os pecuaristas poderão contrair financiamentos de até R$ 20 mil, via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), para comprar reprodutores de raças de corte Puro de Origem (P.O) ou Puro por Cruza (P.C), com registro genealógico. Os animais podem ser adquiridos em feiras ou diretamente de outros pecuaristas catarinenses.

O secretário da Agricultura Moacir Sopelsa explica que o Projeto Especial vem para apoiar os produtores catarinenses que, muitas vezes, acabam pagando mais caro pelos bovinos devido ao status sanitário diferenciado de Santa Catarina. “Como não permitimos a entrada de bovinos vivos no Estado, aqui o preço dos reprodutores é sempre mais alto do que nos Estados vizinhos. Nós já somos reconhecidos pela qualidade do nosso rebanho bovino e acredito que esse Projeto vai trazer ainda mais competitividade para a pecuária catarinense”, ressalta.

A bovinocultura de corte é uma grande oportunidade para os produtores rurais catarinenses. O Estado importa praticamente metade da carne bovina consumida, ou seja, existe um grande potencial a ser explorado. Em 2016, Santa Catarina produziu aproximadamente 112 mil toneladas de carne bovina. Lembrando que o Estado é o único do país que não vacina seu rebanho contra febre aftosa, sendo reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como zona livre da doença sem vacinação.

Os produtores que fizerem parte do Projeto Especial terão até três anos de prazo para pagar o financiamento, com parcelas semestrais e sem juros. Os interessados devem procurar a Epagri de seu município e solicitar a aprovação do crédito pela Secretaria de Estado da Agricultura.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

TV COOP estreia um novo quadro
Publicado em: 14/08/2017

Produzir conteúdos com qualidade, mostrando a evolução do cooperativismo catarinense e brasileiro, sempre foi o legado da TV COOP Santa Catarina. A sua grade de programação é variada e contempla os mais diversos produtos. Temos parcerias importantes com segmentos que se preocupam com o bem estar da sociedade. Conosco, há muito anos, estão a Epagri, a Embrapa, o programa Estado de Excelência, conteúdos da Assembleia Legislativa Catarinense, Tribunal Regional do Trabalho, além do programa RIC Rural, Oeste Rural e do próprio Cooperativismo em Notícia que é um conteúdo exclusivo da Fecoagro/SC e leva os bons exemplos de cooperativismo para os associados há mais de 05 anos.

Para ampliar essa gama de produtos, o departamento de comunicação e marketing da Fecoagro/SC decidiu criar mais um quadro. Ele vai se chamar TV COOP Entrevista e será ancorado pelo jornalista Dolmar Frizon, que também é responsável pelo programa Cooperativismo em Notícia. O TVCOOP Entrevista será exibido às terças-feiras a UMA E MEIA da tarde, nas quartas às QUINZE PARA UMA DA TARDE e nas quintas-feiras às CINCO PARA AS NOVE DA MANHÃ.

A ideia foi dar mais um espaço para o debate, propondo uma visibilidade maior para o setor. O programa vai focar em diversos assuntos, abrindo espaço para o depoimento de especialistas, de produtores rurais, associados das cooperativas e também das entidades parceiras. Para ver os conteúdos da TVCOOP/SC basta entrar no site da Fecoagro, acessando o endereço www.fecoagro.coop.br ou então baixando o nosso aplicativo pelo Google Play e da Apple Store. O TV COOP Entrevista está chegando para ampliar o desenvolvimento do cooperativismo e a estreia será na próxima terça-feira, dia 15 de agosto.

Fonte: Fecoagro/SC

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000