Notícias
07 | Agosto
Manchete do dia 07/08/2017
Produtores rurais catarinenses terão acesso a 355 treinamentos gratuitos
Publicado em: 07/08/2017

Mensalmente o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), promove cursos totalmente gratuitos para os produtores rurais catarinenses. A intenção é oportunizar qualificação no meio rural aprimorando a gestão e garantindo o nível de excelência das propriedades, além de elevar a rentabilidade dos produtores.

Em agosto serão promovidos 355 treinamentos e qualificados aproximadamente 5.680 produtores, trabalhadores e empreendedores rurais em Santa Catarina. Os treinamentos podem ser acessados no site do Senar/SC (www.senar.com.br) com as especificidades de carga horária, local e data de realização. Para participar, o produtor deve procurar o Sindicato Rural do município.

A região Norte terá no município de Monte Castelo nos dias 14 e 15 a capacitação em instalação e manutenção de redes elétricas. Nos dias 21 e 22 os municípios de Três Barras e Itainópolis terão, respectivamente, os cursos de fruticultura – manejo do pomar e manejo de gado leiteiro. No período de 25 a 28 ocorrerá em Joinville a qualificação em controle agroecológico de pragas e doenças. Finalizando o mês de agosto e iniciando o de setembro está programado para os dias 31 e 1º o treinamento de beneficiamento e conservação de pescado em Schroeder.

Para o Vale do Itajaí está programado no município de São João Batista nos dias 07 e 08 a capacitação em operação e manutenção de micro tratores. No dia 15 ocorrerá em Chapadão do Lageado o treinamento de emissão de nota fiscal eletrônica do produtor rural. A qualificação em proteção de nascentes está programada para o dia 23 em Agrolândia. Nos dias 23 e 24 será realizado em Guaramirim o curso de turismo rural – acolhida no meio rural. O município de Massaranduba terá nos dias 30 e 21 o treinamento de olericultura orgânica.

No Sul do Estado no período de 07 a 11 Araranguá terá o curso de doma racional de equídeos. A capacitação em processamento de carne de frango está programada para os dias 22 e 23 em Balneário Gaivota. Nos dias 24 e 25 ocorrerá em Içara o treinamento de produção de pólen apícola. O município de Anitápolis terá nos dias 28 e 29 a qualificação em meliponicultura. Nos dias 30 e 31 será promovido em Rio Fortuna o curso de criação de bezerras e novilhas.

Na região da Serra Catarinense será realizado no período de 07 a 10 em Palmeira o curso de artesanato de costura em tecidos. Nos dias 08 e 09 será desenvolvido em Ponte Alta do Norte o treinamento de conservas de frutas, hortaliças e temperos. O município de Celso Ramos terá no período de 10 a 15 a qualificação em acolchoados artesanais com lã de ovelha. O curso de aumento da produtividade do mel está programado para os dias 16 e 17 em Anita Garibaldi. Nos dias 23 e 24 será promovida em Ponte Alta a qualificação em processamento de carne suína.

Para o Meio Oeste está planejado no período de 07 a 10 o curso de inseminação artificial em bovinos. Nos dias 15 e 16 ocorrerá em Treze Tílias a capacitação em manejo de colmeia. A qualificação de derivados do leite está programada para os dias 16 e 17 em Macieira. Para o dia 18 está programado o treinamento de emissão de nota fiscal eletrônica do produtor rural em Ibiam. Nos dias 28 e 29 Lebon Régis receberá o curso de boas práticas de manipulação de alimentos para agroindústrias.

Entre as capacitações previstas para a região Oeste está programado para os dias 07 e 09 no município de Paial a capacitação em produção caseira de pães e biscoitos. No período de 15 a 17 ocorrerá em São Domingos o curso de segurança e saúde no trabalho com agrotóxicos. No dia 22 o município de Xaxim terá a qualificação em emissão de guia de trânsito animal (e-GTA). O curso de artesanato de costura em tecidos está previsto para o período de 22 a 25 em Irani. Nos dias 29 e 30 o treinamento de janeiro está programado para Entre Rios.

Na região Extremo Oeste será realizado no município de Iporã do Oeste dias 17 e 18 o curso de inclusão digital rural – iniciação à informática. Nos dias 21 e 22 será realizado em Bandeirante o treinamento de confeitaria e no dia 22 ocorre em Modelo a capacitação em gestão ambiental na produção de leite.

Fonte: MB Comunicação

A hora é agora!
Publicado em: 07/08/2017

Por Ivan Ramos – diretor executivo da Fecoagro

O problema é recorrente: o agricultor já está acostumado, as suas atividades estão sempre dependentes de alguma coisa de terceiros, para saber dos seus resultados. A gangorra continua. Uma hora lá em cima, outra hora lá embaixo. Quando não é um produto em crise, é outro, quando não por um motivo é pelo outro.

Mas a persistência na atividade continua, aliás, para quem vive disso, não tem alternativa. Ainda bem que a profissionalização e as novas tecnologias propiciam a oportunidade de melhorias e consequentes avanços nos conhecimentos para reduzir risco, e quando possível ampliar a renda.

Estamos prestes a fase de plantio dos produtos de verão em SC. Embora que os resultados da safra passada tenham sido positivos, quer em preços quer em produtividade, dúvidas surgem nesse momento para o próximo plantio. Os preços caíram em relação ao ano passado, mas segundo os técnicos, aqueles agricultores que adotaram as tecnologias recomendadas nas lavouras, estão sendo compensados em parte com o aumento de produtividade para minimizar a queda de preços. Há muita controvérsia sobre os preços atuais. Existem pessoas que dizem que estão dentro da realidade histórica do mercado. Outros dizem que está em baixa, se comparar com os custos de produção. As variações bruscas dos insumos, quer na origem das matérias primas internacionais, quer pela volatilidade do dólar, distorceram um pouco os custos de produção. Em cada ano a situação tem sido diferente. Houve períodos em que comprar cedo era vantagem, se conseguia preços menores dos insumos. Já em outras ocasiões aconteceu o contrário: comprar cedo, os preços se tornaram elevados e dólar em alta acabou onerando os custos de produção e, talvez por isso, o mercado dos grãos não acompanharam.

De qualquer forma, as atividades no campo precisam ser continuadas. Hoje o preço do milho, por exemplo, é desestimulante, principalmente se comparar com o ano que passou. Mas quem sabe lá na colheita seja diferente. Consumidores de milho esperam que permaneçam assim, já plantadores e vendedores têm expectativa ao contrário. O ideal seria que ficasse dentro de uma média normal e internacional, mas não apenas os preços dos grãos: os insumos também. E isso nem sempre acorre.

Para diminuir esse risco de mercado continua a alternativa mais positiva de buscar maior produtividade. Temos que adotar tecnologias que garantam tirar maior volume na mesma área, e assim reduziremos nossos riscos.

Em SC, pelos dados divulgados pela Secretaria da Agricultura, houve avanços significativos na safra que passou. Se apesar dos incentivos oferecidos somente aumentou três por cento em área de milho, por exemplo, na produção se conseguir quase 20 por cento a mais, isso quer dizer que além do bom tempo, houve adoção de melhor tecnologia. Temos que continuar assim. O mercado oferece insumos que proporcionam melhor produtividade, mas precisamos que todos assimilem isso. Talvez investindo um pouco mais nessa área, consigamos, reduzir os riscos do mercado que hoje sofre influência internacional quer pela oferta de produtos, quer pelo comportamento do tempo.

Pelo que se ouve nesse momento, há resistência em plantar milho em SC devido os preços atuais, mas se decidirmos plantar um pouco de cada produto, talvez incorremos menor risco do mercado. E a velha história: não devemos colocar todos os ovos na mesma cesta. A hora de definição é agora. Pense nisso.

Cooperativistas discutem medidas com ministro da Agricultura e parlamentares
Publicado em: 07/08/2017

As mobilizações do cooperativismo brasileiro para promover ajustes no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) da safra 2017/18 continuam a ser realizadas pelas lideranças do setor. Na última semana a diretoria executiva da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) participou de reunião promovida pela Frente Parlamentar da Agropecuária, em Brasília, com a presença do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, deputados federais e senadores. Os impactos negativos do PAP que as cooperativas estão sofrendo devido a alterações nas normas de repasse do crédito rural foram ressaltadas pelo deputado federal Valdir Colatto. O parlamentar participou de outra reunião, a convite do ministro da Agricultura, juntamente com o secretário e o diretor de Política Agrícola do Mapa, respectivamente, Neri Geller e Wilson Vaz; o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, o secretário de Política Econômica, Fábio Kanczuk, e o secretário-adjunto de Política Agrícola, Ivandré Montiel.

De acordo com Paulo César Dias do Nascimento Júnior, da Gerência Técnica e Econômica da OCB, as demandas apresentadas pelo setor na reunião foram as seguintes: a retirada das linhas de comercialização e industrialização dos recursos obrigatórios; a definição de limite de até 25% para a sub-exigibilidade das cooperativas; a alteração operacional na rubrica de fornecimento de insumos aos cooperados e a definição de limitadores globais por CNPJ nas linhas de custeio fornecimento de insumos e custeio pecuário para as atividades de avicultura e suinocultura.

Ele informou ainda que os pontos de ajustes no Plano Agrícola solicitados pelas cooperativas agropecuárias serão repassadas novamente aos ministérios da Agricultura e Fazenda, que darão sequência à discussão, devendo o assunto ser deliberado na reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), agendada para esta semana.

Fonte: Mapa

Sicoob Credial realiza atividades de cooperativismo incentivando as boas ações e atitudes diárias
Publicado em: 07/08/2017

A cooperativa de crédito Sicoob Credial de Cunha Porã vem realizando diversas atividades pautadas em ações cooperativistas. A iniciativa foi iniciada e desenvolvida em celebração ao Dia Internacional do Cooperativismo, comemorada em 1 de julho. Foram promovidas, em parceria com outras entidades, a Caminhada da Intercooperação em Maravilha, o Movimento de Intercooperação em Cunha Porã, além de iniciativas que trouxeram reflexões sobre a importância das relações humanas, com destaque para temas como a importância do abraço, do sorriso, do elogio, dos sonhos de vida, da generosidade e da solidariedade.

A Caminhada da Intercooperação em Maravilha, contou com a participação dos colaboradores das cooperativas Auriverde, Aurora e Sicoob, os quais visitaram estabelecimentos comerciais e abordaram pessoas pelas ruas do centro da cidade, entregando flores, distribuindo sorrisos, bombons, abraços e divulgando o cooperativismo. A concentração inicial foi na Praça José Bunse, percorrendo parte das Avenidas Sul Brasil, Sete de Setembro, Araucária, Anita Garibaldi, Albino Ceruti Cela e General Osório. Já o Movimento de Intercooperação, realizado em Cunha Porã pelas cooperativas Auriverde, Aurora, Sicredi, Sicoob e Ceraçá, reuniu expressivo público que aproveitou as diversas atrações disponíveis, oferecidas através de trabalho voluntário, como: aferição de pressão arterial, encaminhamento de mamografias, testes rápidos de DST, Hepatite B e C, VDRL e HIV e verificação de peso e altura com cálculo do IMC, dentre outros.

Para a analista de Recursos Humanos da cooperativa, Eliéges Flesch, a campanha foi muito positiva. “Trabalhamos junto aos nossos colaboradores e associados, a fim de estimularmos atitudes simples, pois devido à correria do dia a dia, esquecemos de praticá-las. Precisamos despertar nas pessoas o ato da generosidade, solidariedade, agradecer e elogiar os outros sem esperar algo em troca, desta forma, melhoramos a nossa rotina e, consequentemente, a vida em sociedade”, frisa. O presidente do Sicoob Credial, Hermes Barbieri, ressalta a importância das ações do Sicoob realizadas nos últimos dois meses. Para ele, a iniciativa atendeu as expectativas e reforçou o compromisso cooperativista da entidade.

A gerente Comercial da cooperativa, Shirley de Mello, acrescenta que “As ações desempenhadas foram excelentes, pois nos dias de hoje estamos numa constante busca pela excelência profissional, aperfeiçoamento operacional e acabamos esquecendo que somos seres humanos que tem vida e coração e que vivemos de relacionamentos. Estas ações nos fizeram relembrar o quanto isto é importante, seja no relacionamento no ambiente familiar, profissional e social. Que possamos a cada dia relembrar do sorriso, do abraço, do elogio e de quanto o relacionamento entre as pessoas são importantes para vivermos mais e melhor”, finaliza.

Fonte: Sicoob Credial

Associação dos suinocultores comemora resultados positivos nas conquistas pelo setor suinícola
Publicado em: 07/08/2017

De acordo com o presidente da instituição, Marcelo Lopes, a agenda legislativa do Congresso Nacional encerrou o primeiro semestre com resultados positivos para o setor. “Ainda há entraves para serem resolvidos, mas devido a atual conjuntura econômica vivida pelo Brasil acredito que o setor conseguiu avanços no que tange a agenda política legislativa – com a reforma trabalhista e a prorrogação da Instrução Normativa 14, que define normas para as fábricas de ração animal que produzem alimento com medicamento”, destaca Lopes.

A ABCS resumiu as principais atuações nos poderes federais, com o objetivo de fechar o semestre do setor político institucional da entidade.

A Instituição acompanhou nove proposições em prol da produção suinícola no Senado Federal. Sete delas obtiveram avanço na sua tramitação ao longo do primeiro semestre, como a Reforma Trabalhista, sancionada na primeira a quinzena de julho. A Lei visa adequar a legislação ao mercado de trabalho atual, além de possibilitar a geração de novos postos de trabalho com carteira assinada.

Projetos sobre o bem-estar animal também se destacam. A previsão é que neste segundo semestre ocorra a Audiência Pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) sobre os Projetos de Lei do Senado (PLS 650 e 677 de 2015), que criam estatutos ou normas gerais para animais silvestres, domésticos e de produção. A ABCS juntamente com a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) acompanha estas proposições e trabalha para que haja adequação conforme as condições econômicas e tecnológicas de cada setor produtivo.

Já na Câmara dos Deputados, a Instituição acompanhou trinta proposições, sendo que dezenove delas tiveram avanço na sua tramitação ao longo do primeiro semestre. Dentre os projetos que se destacaram está o PL 3729/2004, que traz novas regras para o Licenciamento Ambiental, pauta fundamental para o setor agropecuário.

Atuante no poder executivo, somente no primeiro semestre de 2017, a ABCS realizou mais de 20 reuniões no Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Brasília/DF).

Os encontros contaram com a presença de fiscais federais, secretários e diretores de departamento sempre para tratar sobre temas diversos como o Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (Pnefa), Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos, Grupo de Trabalho para criar a normativa que define as regras para compartimentação de granjas de produção de suínos (a exemplo do que já ocorre com aves), Plano Agrícola e Pecuário (PAP) e workshops com foco no Protocolo de Intenções com o MAPA, que envolvem ações de Meio Ambiente e Bem-estar animal.

A mais recente conquista junto ao MAPA foi a prorrogação do prazo de vigência da Instrução Normativa (IN) 14 de 2016, a qual define normas para as fábricas de ração animal que produzem alimento com medicamentos.

Além disso, a ABCS foi atendida na redução da taxa de juros das linhas Inovagro e ABC no Plano Agrícola e Pecuário 2017-2018, pleito conjunto entre ABCS, e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil.

Fonte: ABCS

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000