Notícias
02 | Agosto
Manchete do dia 02/08/2017
Fecoagro altera sistema de gestão em São Francisco do Sul
Publicado em: 02/08/2017

O Conselho de Administração da Fecoagro aprovou em sua última reunião, mudança no organograma e sistema de gestão das indústrias de fertilizantes localizadas em São Francisco do Sul.

A partir deste dia 1º de agosto começou a funcionar uma Gerência Geral, que deverá coordenar as demais gerências e gestores da Misturadora e da Granuladora de fertilizantes.

Sergio Antonio Giacomelli, ex-vice-presidente da Cooperalfa, que se aposentou naquela cooperativa, passou ser o gerente Geral da Unidade em São Francisco do Sul. Outra mudança a ser implementada será a transferência da gerência Comercial, para junto a matriz da Fecoagro em Florianópolis, a fim de facilitar o relacionamento com a gerência Financeira que fica na capital.

Em São Francisco do Sul, continua a Gerência Operacional, que cuida internamente das fábricas, e para gerir foi nomeada a engenheira agrônoma Elisete Squena, que antes era gestora somente da Granuladora.

A Unidade de Vendas continua em São Francisco e os gestores e encarregados não foram alterados.

O anúncio das mudanças e apresentação do novo gerente Geral foi feito na segunda-feira em São Francisco do Sul, pelo diretor executivo Ivan Ramos, por delegação do presidente Claudio Post.

A intenção das mudanças é transformar mais dinâmica e entrosada ações da Unidade de Fertilizantes da Fecoagro.

Já desde o início de junho foi reestruturada o sistema de vendas dos produtos granulados, (Nobre e Soma), com implantação de equipe própria de vendas em algumas regiões do estado, embora ainda mantendo algumas regiões com equipe terceirizada.

A parceria estabelecida pela Fecoagro com a empresa espanhola Fertinagro, demonstrou necessidade de readequação da estrutura, especialmente na área comercial da Federação, disse o presidente da Fecoagro, Claudio Post.

Fonte: Fecoagro/SC

Evento reúne casais associados da Cooperja
Publicado em: 02/08/2017

Com o objetivo de oportunizar informação e formação quanto à importância da participação do casal dentro da cooperativa, a Cooperja, com o apoio do Sescoop/SC, reuniu casais associados, no auditório da sua sede administrativa, em Jacinto Machado. Este foi o segundo Encontro de Casais realizado pela cooperativa, este ano. De acordo a coordenadora social, Elisabete Biz dos Santos, esta é uma solicitação antiga das mulheres. “Sempre que realizamos eventos para o público feminino, nas avaliações é pedido encontro de casais. Por isso organizamos esta atividade e estamos muito felizes em ver tantas pessoas aqui hoje”, destacou Elisabete.

O presidente da Cooperja, Vanir Zanatta, além de participar do evento com sua esposa, fez a abertura oficial. “Hoje será uma noite diferente, onde não haverá arrependimentos por terem vindo. Sempre aprendemos algo e podemos levar para nossas casas para dividir com a família. Sejam bem-vindos e que tenhamos uma noite produtiva”, afirmou Zanatta. O palestrante, Ainor Lotéro, iniciou falando sobre o amor. O tema central da sua explanação foi: A essência da vida conjugal e o pensamento cooperativo no seio do lar.

Todos aprovaram a atividade por acreditarem que o diálogo é fundamental para boa convivência familiar. “Sempre encontramos algo para inovar no relacionamento”, afirmou Fátima Josiane D. Delavecchia. “Evento lindo. O amor é uma dádiva de Deus e os casais são Deus presente”, finalizou Terezinha M. Zanatta.

Fonte: Cooperja

Cooperitaipu realiza encontro para casais através do Programa Mulheres Cooperativistas
Publicado em: 02/08/2017

Casais associados da Cooperativa Regional Itaipu estiveram reunidos nas dependências do auditório do Itaipu Rural Show para buscar aperfeiçoamento sobre Educação Cooperativista. As mulheres que participam do Núcleo Feminino da Cooperitaipu, formado na primeira turma, estiveram reunidas com seus maridos, durante o 1º Encontro de Casais. O evento promovido pelo Sescoop/SC e organizado pela Itaipu, faz parte da formação continuada do Programa Mulheres Cooperativistas.

Com o tema Educação Cooperativista, o palestrante Ney Guimarães falou sobre a importância em atender ao chamado da cooperativa. “Sabemos da parceria entre associado e cooperativa, assim como a importância do bom relacionamento familiar, é fundamental dar continuidade a esta união, através de encontros como este”, comentou o palestrante.

Na abertura o vice-presidente da Cooperitaipu, Serafim Thiesen, agradeceu a presença de todos e lembrou, “o nosso conhecimento, ninguém pode nos tirar, que saibamos dividi-lo com nossa família, isto é o que realmente precisamos e o que temos de mais importante em nossas vidas”, reforçou Serafim.

De acordo com a coordenadora de Promoção Social do Sescoop/SC, Patrícia Gonçalves de Souza, os casais aprovaram este formato de evento. “Estes temas os quais discutimos, são sempre um aprendizado muito importante para o fortalecimento dos casais e para as famílias. A busca por conhecimento, principalmente quando realizado pelo casal, em conjunto, o resultado é ainda mais completo, pois na família é o melhor lugar para viver o cooperativismo”, comenta a coordenadora.

O próximo encontro para os casais, deverá trazer os palestrantes Gianne Gemelli Wiltgen e Renato de Oliveira. Os Encontros de Casais são uma novidade do Sescoop/SC em 2017 e são realizados na etapa da formação continuada do programa Mulheres Cooperativistas. Neste primeiro ano, 13 cooperativas serão beneficiadas, sendo 02 encontros para cada uma, com a participação das mulheres integrantes dos Núcleos Femininos e os seus cônjuges, companheiros.

Fonte: Cooperitaipu

Programa do agronegócio catarinense transforma pequenas propriedades em empresas rurais sustentáveis
Publicado em: 02/08/2017

No Dia do Produtor Rural, os produtores rurais catarinenses comemoram o sucesso de uma iniciativa que transformou as pequenas propriedades rurais em empresas estruturadas e sustentáveis. Trata-se do “Encadeamento Produtivo: Aurora Alimentos – Sebrae/SC: suínos, aves e leite” que consolidou-se como o maior programa de agronegócio do País.

Com resultados expressivos nas propriedades rurais, atualmente serve de exemplo aos demais Estados que, constantemente, organizam missões empresariais ao Oeste catarinense, para conhecer os resultados e as práticas do projeto. Denominado Encadeamento Produtivo desde 2014, o projeto é a extensão do Programa de Desenvolvimento de Empreendedores Rurais Cooperativistas, que teve início em 1998 e, em 19 anos, contemplou mais de 45 mil pessoas. O objetivo é desenvolver e aperfeiçoar as pequenas empresas integradas na cadeia produtiva capitaneada pela Cooperativa Central Aurora Alimentos Cooperativas Filiadas. Entre as soluções que o programa contempla estão o Programa De Olho na Qualidade, Qualidade Total Rural, Times de Excelência e capacitação ambiental.

Segundo a gestora estadual do Encadeamento Produtivo no Sebrae/SC, Josiane Minuzzi, o Sebrae Nacional está trabalhando no desenvolvimento de um novo projeto para que a iniciativa transborde para outros Estados em 2018. “O Encadeamento é referência no agronegócio e, por isso, o objetivo é atender aos demais Estados que têm cooperativas”, assinala Josiane, ao comentar que no dia 21 de agosto, será realizada em Chapecó uma oficina de replanejamento do projeto com a presença de representantes do Sebrae Nacional, da Aurora e das cooperativas participantes.

Ao mencionar a importância da expansão do projeto aos demais Estados, o vice-presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Canton, realça que o programa se solidificou e tem reconhecida utilidade aos produtores rurais. “Importante ressaltar que o projeto vem se constituindo em ferramenta decisiva para novas práticas e para que empresários rurais se mantenham na atividade”.

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, enfatiza que o sucesso do projeto em Santa Catarina tem relação direta com os programas De Olho na Qualidade, QT Rural e Times de Excelência que contemplam o Encadeamento, bem como o compromisso das cooperativas. “Expandir o projeto aos demais Estados será essencial para ampliar a excelência nos empreendimentos rurais e nas empresas urbanas que integram a cadeia produtiva”.

O diretor técnico do Sebrae/SC, Anacleto Ortigara, realça a expressiva evolução nos empreendimentos rurais com investimentos feitos por meio do programa. “Os resultados mostram que os produtores não medem esforços para implementar novas práticas e tecnologias nas propriedades e que, por meio das soluções do Sebrae, elevaram a produtividade, melhoraram a qualidade de vida e reduziram custos. Hoje são empresas sustentáveis”.

Ancorado pela Aurora Alimentos e Sebrae/SC, o projeto conta com as parcerias, em Santa Catarina, do Senar/SC, Sescoop/SC, Sicoob, Fundação Aury Luiz Bodanese, Cooperalfa, Caslo, Coolacer, Auriverde, Coopervil, Itaipu, Cooper A1, Coopercampos, Copérdia. No Rio Grande do Sul os parceiros são o Sebrae/RS, Cotrel, Cooper A1, Copérdia e Sicredi/RS. No Paraná, é desenvolvido com o Sebrae/PR, Senar, Cocari, Camisc, Cooperativa Alfa e, no Mato Grosso do Sul, é realizado juntamente com o Sebrae/MS e Coasgo. A iniciativa é destinada às micro e pequenas empresas da cadeia produtiva do agronegócio – rurais e urbanas.

Antes mesmo de criar o Programa de Desenvolvimento de Empreendedores Rurais Cooperativistas, iniciava em 1997, com 15 famílias, no pequeno município de Planalto Alegre, oeste catarinense, a turma-piloto do curso “De Olho na Qualidade” e “Qualidade Total Rural” – soluções que hoje são disponibilizadas por meio do Encadeamento Produtivo.

Além de participar da primeira turma, Antonio Camatti Sobrinho representou os demais empresários rurais, juntamente com as lideranças locais em Brasília, no período das negociações para viabilização do projeto. Segundo ele, os resultados na propriedade foram significativos. “Trabalhávamos sem organização e, após o curso, tudo melhorou 100%, pois passamos a ter planejamento”, enfatiza o produtor, que na época atuava com suínos. Hoje, o filho administra a propriedade que foca na produção de aves com um plantel de 38 mil frangos.

Parmeggiani lembra que desde o primeiro momento os parceiros trabalharam de maneira integrada com a plataforma das cooperativas. “O que se propôs na essência continua acontecendo e não temos notícia de outro programa que se propagou e que tenha promovido o desenvolvimento e a transformação em resultados, por tantos anos. A participação dos pequenos negócios rurais demandou metodologia adequada para educação de adultos, além da disposição para mudanças para o propósito de desenvolvimento dos pequenos negócios rurais”. Realmente a solução permite preparar os pequenos negócios para elevar o nível de competitividade no contexto das cadeias produtivas.

Fonte: MB Comunicação

Mudanças na norma que regulariza situação de 10 mil pescadores catarinenses
Publicado em: 02/08/2017

Uma boa notícia para os pescadores catarinenses. A Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) publicou a Portaria 1.275, que permite o registro de pescadores profissionais em todo o Brasil. A norma torna válidos os registros suspensos ou ainda não analisados existentes no Sistema de Registro Geral da Atividade Pesqueira (SISRGP). A medida deve beneficiar aproximadamente 10 mil pescadores catarinenses e 400 mil pescadores de todo país.

Para isso, a Portaria reconhece como documentos válidos para o exercício da atividade de pesca os protocolos de solicitação de registro ou comprovantes de entrega de relatório para a manutenção de cadastro devidamente atestados pelos órgãos competentes. A medida vale até o início do processo de recadastramento dos pescadores que será realizado pela Secretaria até o final do ano.

A emissão de registros para a pesca profissional estava suspensa desde 2015 por recomendação dos órgãos de controle. A Secretaria de Aquicultura e Pesca estima que cerca de 500 mil pessoas tenham o registro de pesca profissional em todo o Brasil, sendo que quase 400 mil aguardam a análise dos pedidos feitos de 2015 para cá ou estão com os registros suspensos. Ou seja, exercem a atividade da pesca de forma irregular e estão sujeitos a autuações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) caso sejam pegos em fiscalizações do órgão, que vão desde a apreensão dos produtos e instrumentos, aplicação de multas até ações penais.

Em Santa Catarina são 42 mil pescadores artesanais e profissionais e cerca de 20% estavam com problemas no registro. “Santa Catarina é o principal polo pesqueiro do país, o maior produtor de moluscos cultivados e pescados. A pesca é uma atividade muito importante e o sustento de milhares de famílias no estado. O setor produtivo estava desamparado por isso essa notícia veio em boa hora e traz a segurança necessária para que os pescadores catarinenses continuem suas atividades”, ressalta o secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa.

Com a Portaria, o país passa a ter quase um milhão de pescadores regularizados. “Essa medida traz dignidade a essa classe trabalhadora de extrema importância para o país. A simplificação dos processos administrativos e a desburocratização são uma prioridade na gestão do MDIC. Não vamos medir esforços para a implantação de um Sistema de Registro da Pesca consolidado e seguro”, afirma o secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Dayvson Franklin de Souza.

“As dificuldades do Governo Federal em atualizar os registros de pescadores não podem prejudicar o exercício da profissão. Com essa nova medida, as autoridades terão o tempo necessário para emitir os novos registros enquanto os pescadores mantêm a sua atividade com segurança”, ressalta o secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies.

A permissão, no entanto, é apenas para o registro da atividade e não dá direito aos pescadores requererem o seguro defeso. Para isso, os pescadores precisam atender aos requisitos estabelecidos na Lei nº 10.779/2003 e Decreto nº 8.424/2015, como não dispor de outra fonte de renda e exercer a pesca como profissão durante os 12 meses imediatamente anteriores ao do defeso em curso.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000