Notícias
01 | Agosto
Manchete do dia 01/08/2017
Nova emissora na Rede Catarinense de Comunicação Cooperativista a partir de hoje
Publicado em: 01/08/2017

Mais uma emissora de SC passa a integrar a Rede Catarinense de Comunicação Cooperativista a partir de hoje. A Rádio Princesa do Vale de Lindóia do Sul, frequência 104.9, passa a transmitir o Agronegócio Hoje de segunda à sexta-feira às 12h30min. O Informativo Agropecuário irá ao ar todos os sábados as 07h30min. A região de cobertura da Rádio Princesa do Vale de Lindóia do Sul é atendida pela cooperativa Copérdia e pelo Sicoob Crediauc.

O município de Lindóia do Sul

A cidade de Lindóia do Sul está localizada no meio oeste de Santa Catarina, na microrregião de Concórdia, em um vale de beleza ímpar, a 535 km de Florianópolis. A história de colonização relata que em 1940, um grupo de imigrantes italianos chegou à região onde se localiza o município de Lindóia do Sul em busca de terras férteis para plantar. Ao avistarem o Rio Engano, em forma de serpente, entre as matas verdejantes do vale, os desbravadores teriam exclamado: “Lindo! Olha!” – daí o nome da cidade. A região tinha madeira abundante e a sua extração, ao lado da agricultura, tornou-se a principal atividade econômica à época. Lindóia do Sul foi distrito de Concórdia e emancipou-se em 1990.

Com uma área de 190 km2, clima mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 17,9°C tem sua base econômica na agricultura, com destaque para o cultivo do milho, produção de suínos, aves e leite, também há indústrias de beneficiamento de madeira, fábricas de móveis, uma ervateira e um moinho industrial.

Nossas boas vindas à Rádio Princesa do Vale de Lindóia do Sul e a partir de hoje os agricultores da localidade terão muito mais informações de interesse de todas as regiões do estado de SC.

Fontes: Fecoagro/site Prefeitura de Lindóia do Sul

Seminário aborda geração de energia por fontes alternativas
Publicado em: 01/08/2017

Para repassar informações sobre novas oportunidades de negócios para as cooperativas abordando o tema da geração de energia a partir de fontes alternativas, o Sistema da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) promoveu, recentemente, evento sobre o tema em Chapecó. O Seminário sobre Fontes Alternativas de Energia contou com 46 participantes.

A energia solar foi um dos assuntos abordados nas palestras, por estar entre as principais fontes de geração que não libera, durante o seu processo, resíduos e gases poluentes. A energia limpa está entre os fatores importantes para se garantir o desenvolvimento sustentável do planeta. A energia fotovoltaica é uma fonte de eletricidade infinita, pois é produzida a partir da luz solar e, quanto maior for a irradiação, maior será a quantidade de energia produzida.

Outra questão tratada foi a resolução 482/2012, da ANEEL, segundo a qual todo e qualquer consumidor brasileiro pode gerar sua própria energia elétrica, utilizando fontes renováveis, consumir e injetar na rede de distribuição (armazenar), reduzindo a fatura de energia. A energia injetada e não consumida, fica como crédito por até cinco anos para o consumo futuro e este modelo é chamado de micro e mini geração distribuída.

Caso as cooperativas tenham interesse em mais informações, poderão entrar em contato com o coordenador técnico da OCESC, José Almery Padilha, pelo telefone (48) 3878-8818 ou pelo e-mail padilha@ocesc.org.br.

Fonte: MB Comunicação

Cravil realiza Seminário de Jovens Cooperativistas
Publicado em: 01/08/2017

A edição 2017 do Seminário de Jovens Rurais Cooperativistas Cravil evidenciou a troca de experiências. Mais de 80 jovens participaram do evento que ocorreu no dia 22 de julho e integrou a programação da Agro Vale, Expofeira Agrícola de Rio do Sul.

No período da manhã, destaque para as perspectivas da agropecuária no Vale do Itajaí, os números da safra 2016/2017 na cooperativa e a apresentação do Polo Tecnológico Cravil como disseminador de conhecimento. O engenheiro agrônomo Gentil Colla Junior e o gerente de Produção Moacir Warmling assumiram a condução dos trabalhos, após a abertura oficial com a presença de autoridades e as lideranças dos Clubes de Jovens Cravil.

Após o almoço, o bate-papo foi sobre produção de leite a base de pasto, os associados Cravil Vanderlei Moser de Rio do Oeste e Joel Weiss de Ituporanga, apresentaram um pouco da rotina deles nas propriedades que participam do Programa Balde Cheio, uma parceria Cravil e Embrapa.

Vanderlei Moser trabalha há 10 anos com o Programa Balde Cheio e a produção de leite em sua propriedade gira em torno dos 8 mil litros por mês. Segundo o associado Cravil de Rio do Oeste, por meio do Balde Cheio é possível, mesmo em uma propriedade pequena, ser sustentável na produção de leite. “Nesse sistema, o principal é pasto, a gente investe no solo, no pasto, para que o rebanho tenha a melhor qualidade na alimentação. Hoje eu me vejo na atividade leiteira como produtor de pasto, não sou produtor de leite, porque na verdade quem precisa receber os créditos da produção de leite, são as vacas. A gente tem a obrigação de produzir pasto”.

O produtor de Ituporanga, Joel Weiss, que produz 230 litros de leite por dia, destacou a importância do manejo correto, com adubação, cuidado com a altura, entrada e saída dos animais, sempre em busca da pastagem perfeita para atender a necessidade do rebanho. “Cada tipo de pastagem requer um cuidado diferenciado, é preciso estar atento aos detalhes. Cada propriedade tem suas peculiaridades, por isso, é importante que o produtor tenha a ajuda de um técnico para ver a melhor possibilidade para a realidade”.

Após a troca de experiências, o médico veterinário da Agroceres Multimix, Gilson Dias Júnior, falou sobre nutrição de vacas leiteiras, ressaltando a máxima que é preciso produzir com custo, não a qualquer custo. “Existem várias formas de atuação, vários fatores que determinam a produtividade e o maior lucro do produtor. E isso começa desde o pré-parto, da preparação para a lactação até lactação consolidada. A nutrição representa o maior custo da produção de leite, então quando a gente trabalha de forma a diminuir esses custos, ou maximizar de forma eficiente o uso desses insumos, a gente aproxima o produtor da possibilidade de conseguir um maior lucro”.

O coordenador do trabalho com jovens na Cravil, Raul Marcola, técnico em agropecuária e difusor do Programa Balde Cheio na cooperativa, se colocou a disposição dos jovens e evidenciou a importância da parceria entre produtor e técnico agrícola para o sucesso da pastagem. “Existe um pacote tecnológico junto com a muda e com o manejo. Mas também é preciso que o produtor aprenda a falar com o pasto”.

Entre os jovens que participaram do evento, estava Lucas Dirksen, da comunidade de São José de Presidente Getúlio, que trabalha com os pais na propriedade que tem milho, fumo e leite. “Tudo que a gente procura absorver de informação é sempre muito útil para a propriedade. Foi muito produtivo pelas palestras sobre pasto, manuseio dos animais, o manejo da lactação das vacas, muita informação”, destacou.

O evento realizado no Centro de Eventos Hermann Purnhagen, em Rio do Sul, encerrou após a apresentação do gerente Cravil, Marcelino de Abreu, sobre as tendências de comercialização, principalmente de grãos, para o segundo semestre e perspectivas 2018.

Fonte: Cravil

Banner Questionario_1
1
2
3
PrevNext
Sicoob Credija inicia roteiro de premiações do Credcap
Publicado em: 01/08/2017

O Sicoob Credija deu início à nova etapa de sorteios da Campanha de Capitalização Credcap, que neste ano premia os associados com dois automóveis zero quilômetro, 24 motos e outros prêmios. O primeiro automóvel, Fiat Strada, já foi entregue e no fim do ano será a vez dos associados conhecerem o ganhador do Toyota Etios. Desde o dia 10 de julho, dirigentes do Sicoob Credija percorrem as agências e anunciam os ganhadores dos televisores, condicionadores de ar e bicicletas. Mais de 40 associados serão premiados nesta etapa, que também vai sortear nove motos.

“Promover esses eventos em cada uma das nossas agências é também uma forma de estarmos ainda mais presente na vida dos associados, destacando para cada um os benefícios do cooperativismo e ouvindo as demandas da comunidade”, disse o presidente do Sicoob Credija, Wolni José Walter. Em alguns encontros também são promovidas palestras com temas de interesse da comunidade. “Além das premiações, também procuramos levar conhecimento para as pessoas, destacando a nossa missão social”, completou Wolni.

No dia 8 de dezembro, a cooperativa promove o seu tradicional evento do Credcap, quando são conhecidos os vencedores de todos os prêmios. Nesse dia, a cooperativa também apresenta os prêmios da próxima campanha. “É um grande evento de confraternização, quando reunimos mais de mil pessoas para celebrar o ano e conhecermos a nova campanha de capitalização”, explicou o vice-presidente do Sicoob Credija, Donato Semprebon. “O Credcap, há mais de 10 anos, valoriza os associados e aproxima todos criando um ambiente saudável de cooperação e amizade”, finalizou.

Fonte: Sicoob Credija – Assessoria de Comunicação

Santa Catarina estabelece vazio sanitário da soja para combater ferrugem asiática
Publicado em: 01/08/2017

No período entre 15 de junho a 15 de setembro fica proibido ter plantas de soja em crescimento no estado. A medida visa proteger as lavouras catarinenses da ferrugem asiática da soja e atende a uma demanda do setor produtivo. A Portaria nº 18/2017 foi assinada na última quinta-feira (27) pelo secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, em Abelardo Luz.

Para que seja respeitado o vazio sanitário, a Portaria proíbe a semeadura de soja no período de 11 de fevereiro até 14 de setembro de cada ano em Santa Catarina. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, destaca que o vazio sanitário foi estabelecido após ampla discussão envolvendo a Secretaria da Agricultura, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e representantes do setor produtivo catarinense. “A medida traz mais segurança para os produtores catarinenses e protege as lavouras da ferrugem asiática, que pode comprometer todo cultivo”, ressalta.

Cada estado do país pode estabelecer o período mais adequado para o vazio sanitário da soja, de acordo com suas condições climáticas. O secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies, explica que, no caso de Santa Catarina, o frio intenso que ocorre no inverno nas regiões produtoras de soja, normalmente, já elimina todas as plantas de soja vivas, que são queimadas pela geada. Se isso não ocorrer, é necessário o controle químico por meio de dessecação com herbicidas.

Segundo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no período de vazio sanitário não deve haver soja em estado vegetativo para que o fungo, que causa a ferrugem asiática, e seus esporos não consigam sobreviver e contaminar o próximo plantio.

Soja em Santa Catarina

Os produtores catarinenses colheram a maior safra de soja da história. A produção chegou a 2,4 milhões de toneladas, 13,4% a mais do que no último ano. A soja vem ganhando cada vez mais espaço nas lavouras catarinenses, principalmente as áreas que antes eram usadas para o plantio de milho. Na safra 2016/17, o grão ocupou 660,2 mil hectares no estado, a maior área plantada já registrada. O aumento na produção é o resultado da combinação entre área plantada e produtividade, o rendimento médio das lavouras catarinenses chega a 3,6 toneladas por hectare – um aumento de 11,24% em relação à última safra.

A soja é ainda um grande produto na pauta de exportações de Santa Catarina. Em junho, de tudo o que o estado exportou, 11,4% era do complexo soja. No acumulado do ano, de janeiro a junho, o volume exportado foi 15% superior ao volume exportado no mesmo período de 2016, passando de 1,2 milhão de toneladas. Os principais destinos da soja catarinense são China, Rússia, Coreia do Sul e Tailândia.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000