Notícias
24 | Julho
Manchete do dia 24/07/2017
Fecoagro há 42 anos pregando a integração e a intercooperação
Publicado em: 24/07/2017

Completar 42 anos de atuação, tentando unir interesses, superando divergências, e pregando o obvio dentro de um Sistema Cooperativo que avança em várias atividades, mas que pedala lentamente no principal objetivo que é integrar, tem sido a missão da Fecoagro nestes anos de existência.

Nesta terça feira dia 25, a FECOAGRO completa 42 anos. Nesse período enfrentou diversos reveses que afetou o setor agropecuário e por consequência, às cooperativas associadas, mas conseguiu sobreviver ao ponto de ser considerada modelo de integração e intercooperação em nível nacional.

Como qualquer entidade ou empresa que está no mercado, a Fecoagro tem sido persistente em buscar negócios de interesse comum das cooperativas e dos associados, e vamos além; da parte comercial ou operacional, tem sido porta-voz das reinvindicações das cooperativas agropecuárias catarinenses.

Os negócios que executa, sempre mediante definição das bases, isto é, dos dirigentes das cooperativas associadas, a Fecoagro procura buscar resultados positivos para todas as cooperativas, evidentemente sempre proporcionalmente às suas participações nas atividades, como preconiza o cooperativismo.

Não é fácil unir interesses, mesmo que em tese, com objetivos comuns, porque sempre existe o individualismo e a intenção particular de cada dirigente ou operador de mercado, dentro das cooperativas, que muitas vezes pensam na sua e não no conjunto.

A Central de Compras, e a indústria processadora de fertilizantes da Fecoagro tem sido o grande objetivo econômico de buscar de bons resultados, quer nas negociações em si, quer na regulação dos preços no mercado.

A sua área de comunicação, que também tem seu reconhecimento nacional, tem sido o instrumento adicional, para mostrar os resultados positivos nas cooperativas, e conscientização da importância do cooperativismo, não apenas entre os potenciais interessados, os agricultores, como também, a população de modo geral.

A centralização operacional dos programas do governo do estado, que acabou com o protecionismo de algumas empresas fornecedores dos produtos do projeto, dando oportunidades equitativas a todos e reduzindo os custos dos subsídios, tem mostrado que a união das cooperativas e outras empresas participantes através de parcerias e da intercooperação, tem auxiliado nas operações, como também na regulagem dos preços e agilidade nas operações de apoio governamental ao homem do campo.

Em todas as áreas em que vem atuando, a Fecoagro tem tentado ser eficiente, apesar de muitas vezes ter que enfrentar os reveses do mercado, que pode pegar no contra pé, e nem sempre alcançado os resultados preconizados.

Nesses 42 anos de existência a Fecoagro tem prestado serviço às cooperativas e devolvido resultados, e só consegue isso pelo espírito de união que predomina na grande maioria das cooperativas associadas, e pela maneira transparente e justa com que trata dos assuntos a ela confiados.

Que venham os próximos 42 anos para a Fecoagro enfrentar, e se ainda existirem críticos da instituição, a história vai mostrar que se está ruim com Fecoagro, pior será sem ela. Pense nisso.

Santa Catarina encerra colheita de milho com incremento de 17% na produção
Publicado em: 24/07/2017

Santa Catarina encerra colheita de milho e tem safra 2016/17 de 3,2 milhões de toneladas. Como maior consumidor de milho do país, o estado comemora o incremento de 17,2% na produção do grão – fundamental para abastecer as cadeias produtivas de carnes e leite. A região com maior produção no estado é Joaçaba com 630.233 toneladas colhidas – 42% a mais do que na última safra.

A região de Joaçaba é um exemplo do que vem acontecendo em Santa Catarina: para compensar a perda de área plantada para o cultivo de soja, os produtores catarinenses investem em tecnologias para aumentar a produtividade. Na última safra, os produtores da região colheram em média 10,5 toneladas/hectare, 32,2% a mais do que na safra 2015/16, e muito mais do que a produtividade média do estado, que fechou em 8,5 toneladas/hectare.

“Santa Catarina é estado pequeno e com uma produção agrícola muito diversificada. Os produtores perceberam que o segredo está no uso de tecnologias para ampliar a produtividade e colher mais no mesmo espaço de terra. É incrível o que produzimos em apenas 1,12% do território nacional”, ressalta o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa.

Outro grande celeiro catarinense é a região de Curitibanos, que ampliou em 16,5% a produção e colheu mais de 239,5 mil toneladas na safra 2016/17. Na última safra, os produtores da região colheram em média 11 toneladas/hectare, 21% a mais do que na safra anterior. O grande destaque da região é o município de Campos Novos, com oito mil hectares plantados e uma colheita de 96 mil toneladas – um rendimento médio de 12 toneladas/ hectare.

O maior crescimento na produção aconteceu na região de Xanxerê. Os produtores colheram 41% a mais na safra 2016/17 – foram 292,8 mil toneladas. Os 17 municípios da região destinam 28 mil hectares ao plantio do milho e tiveram um rendimento médio de 10,4 toneladas/hectare.

Os produtores da região de Campos de Lages também vêm se dedicando ao plantio de milho. A produção aumentou 13% na região e a safra encerrou em 264 mil toneladas. A produtividade média da região foi de 7,3 toneladas/hectare, 11,4% a mais do que na safra 2015/16 e um pouco abaixo da produtividade média do estado.

Aumentar a produção de milho é uma grande preocupação da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Destaque na produção de proteína animal, Santa Catarina é o maior consumidor de milho do país e o grão é indispensável para manter a competitividade do agronegócio no estado. “Somos grandes produtores de suínos e aves e queremos manter esse setor consolidado em Santa Catarina, para isso precisamos de milho. Não existe suinocultura e avicultura sem milho”, ressalta Moacir Sopelsa.

Os números estão disponíveis no Boletim Agropecuário do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) deste mês.

A safra de milho silagem, utilizado na alimentação de bovinos de corte e leite, teve um aumento de 18% em Santa Catarina. O estado colheu 9,5 milhões de toneladas de milho silagem na safra 2016/17. Com uma área plantada de 221,6 mil hectares, a produtividade chega a 43 toneladas de massa verde por hectare.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

Programa de incentivo ao plantio do milho não deve decolar por falta de interesse dos compradores
Publicado em: 24/07/2017

O programa de incentivo ao plantio de milho em sc, lançado no ano passado e que estava para ser reeditado neste ano, não deve prosperar. Isso porque às agroindústrias consumidoras do produto não manifestaram interesse em adquirir o milho antecipadamente, ao preço propostos pelas cooperativas e os agricultores.

Levantamentos dos custos de produção realizados pela Fecoagro junto às cooperativas demonstraram que para o plantio da próxima safra de verão cuja colheita começa no início de 2018, indicam que os produtores precisariam receber pelo menos R$ 28,00 por saco para vendas antecipadas, a fim de estimular o plantio. As agroindústrias não se dispuseram a aceitar esse preço, sob o argumento que os preços atuais estão bem menores e que para janeiro de 2018, o preço máximo que poderiam pagar seria R$ 30,00. Se o preço fosse esse as cooperativas teriam que pagar aos agricultores no máximo R$ 26,00 por saco, pois o recebimento preparação e entrega do milho nas agroindústrias custaria R$ 4,00 por saco. Dessa forma, ao preço de R$ 26,00 por saco os agricultores preferem plantar soja e não milho.

O Governo do Estado através da secretaria da Agricultura tentou ajudar nos custos, inclusive com subsídios às agroindústrias ou as cooperativas através de liberação de credito de ICMS.

Em audiência nessa semana com o Secretário da Fazenda, Almir Gorges, o Secretário da Agricultura Moacir Sopelsa, foi informada que o Estado não tem condições de abrir mão de arrecadação nesse ano, pois as receitas não estão sendo suficientes para cobrir as despesas já contratadas pelo Estado. Por esta razão, o subsidio através de crédito de ICMS, não será liberado e assim o estado fica sem auxiliar nos custos do milho.

A Fecoagro e a Secretaria da Agricultura mostraram à Fazenda Estadual que trazer milho de fora do estado custa mais caro para o tesouro, do que subsidiar com crédito de ICMS internamente, mas o secretário ressaltou que se trata de um problema de caixa imediato e não tem outra forma de buscar recursos.

Em vista disso, o programa de Incentivo ao Plantio de Milho em SC ficará prejudicado e caberá às cooperativas e os produtores definirem se querem bancar a compra e venda antecipada com preços em aberto ou correrem o risco e aguardar para venda na época da colheita.

Fonte: Fecoagro

Programa Mulheres Cooperativistas aborda família e desenvolvimento interpessoal
Publicado em: 24/07/2017

Os desafios da família moderna e o papel da mulher foram alguns dos conteúdos abordados no segundo módulo do Programa Mulheres Cooperativistas, finalizado nos meses de junho e julho em quatro cooperativas do Estado: Auriverde, Cooperalfa, Sicoob Creditapiranga e Cooperitaipu. As participantes, mulheres cooperadas ou familiares de cooperados, discutiram questões em torno do tema “Desenvolvimento interpessoal e relacionamento familiar”.

O objetivo do módulo foi oferecer às mulheres conhecimento acerca de si mesmas, investigando e mostrando a influência dos modelos familiares no modo de lidar com as pessoas e nas famílias que constituíram. Discutir as principais dificuldades vividas pelas famílias e as possíveis saídas para se viver melhor.

Susana Cataneo Bett, 30, encontrou nesse módulo uma oportunidade para compartilhar experiências de vida. Segundo ela, que participa do programa na Auriverde, a psicóloga que ministrou o módulo deu abertura para que as mulheres pudessem falar sobre algumas questões. “Eu me surpreendi. Foi uma experiência única e inesquecível. Foram algumas palavras que marcaram muito e coisas simples que fazemos e não nos damos conta. Discutimos algumas mudanças que a família sofreu desde que eu era adolescente”, conta.

Cooperada da Auriverde há um mês, Susana entrou no programa porque o sogro é cooperado. Em pouco tempo, foi convidada para ser líder da cooperativa em Lauro Müller e diz que está adorando a capacitação. “O programa está sendo muito importante para mim, como mulher. Estou mudando algumas coisas no meu jeito de ser, de olhar as coisas. O que mais me marcou até agora foi o conceito de líder. Que ele não pode ser autoritário, mas deve trabalhar junto com a sua equipe. Estou aprendendo muito”, complementa.

Fonte: MB Comunicação

Fecoagro comemora 42 anos e homenageia apoiadores de programa de TV
Publicado em: 24/07/2017

Como acontece todos os anos no mês de julho, a Fecoagro reuniu nessa sexta feira, em Florianópolis, dirigentes das cooperativas, lideranças políticas e administrativas, e funcionários, para um jantar comemorativo aos 42 anos de fundação da federação.

Neste ano também comemorou os cinco anos de existência do programa Cooperativismo em Notícia, produzido pela Fecoagro e veiculado semanalmente pelo Canal Rural, SBT de SC, Record News e TV Cidade de Joinville.

No evento que contou com a presença de lideranças políticas e convidados, foram prestadas homenagens aos patrocinadores do programa, aos colaboradores que produzem, ou produziram os programas nestes cinco anos; aos entrevistados do primeiro programa, e os veículos de comunicação.

Na ocasião foi apresentado um compacto do primeiro programa que foi ao ar dia 7 de julho de 2012; e um vídeo atual das atividades da Fecoagro.

Foram homenageados os seguintes apoiadores do programa Cooperativismo em Notícia:

Colaboradores que trabalharam, ou que trabalham na produção e apresentação dos programas:

PAULO ROBERTO RIBEIRO (in memoriam)
GILBERTO MOTTA
RENEY ROBERTO POPPER
LUIZ CARLOS DA SILVA
CLEVERSON ROBERTO DA SILVA
FABIANO SABINO DE FIGUEIREDO
CELIVIO HOLZ
DOLMAR FRIZON
FABIO DE FARIAS
MAURO SCHUH
IVAN RAMOS
Entrevistados do primeiro programa:

ARMANDO NIEDERMAYER – coordenador de convenio da Fecoagro
ENORI BARBIERI – presidente da Cidasc
GERSON SEEFELD – diretor executivo do Sicredi Sul
JOÃO RODRIGUES – então secretária de Agricultura de SC
JOSÉ MILTON SCHEFFER – deputado estadual
JOSÉ ZEFERINO PEDROSO – presidente da Faesc
MARCOS ANTONIO ZORDAN – então presidente da Ocesc
MOACIR SOPELSA – então presidente da Frencoop SC
NELTON ROGÉRIO DE SOUZA (in memoriam)- então vice-presidente da Faesc


Veículos que apresentaram o programa Cooperativismo em Notícia:

CANAL RURAL
SBT/SC
RECORD NEWS/SC
TV DA CIDADE
TVCOM/SC
Patrocinadores do programa:

SISTEMA OCB SESCOOP NACIONAL
OCESC
SICREDI
BRDE
SICOOB
SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DA PESCA DE SC
FERTILIZANTES FECOAGRO
Fonte: Fecoagro

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000