Notícias
09 | Abril
Manchete do Dia 09/04/2018
Abastecimento de milho: mais uma vez em discussão
Publicado em: 09/04/2018

Na semana que passou aconteceu em Florianópolis uma reunião com entidades do agronegócio de SC, oportunidade em que o Canal Rural apresentou os resultados do Fórum Mais Milho realizado em fevereiro último durante o Tecnoeste em Concórdia.

A reunião que contou com a presença dos quatro órgãos que patrocinaram o evento em SC – Ocesc, Faesc, Fecoagro, Sindicarne – além da Secretaria da Agricultura mostrou a repercussão em nível nacional da promoção que teve transmissão ao vivo pelo Canal Rural, TV COOP e YouTube, e segundo os organizadores foi o de maior eficácia em termos de audiência e participação in loco, comparando com os outros dois já realizados em SC, em Florianópolis e Chapecó.

O que deu para sentir nas discussões entre os presentes foi que esse tipo de promoção tem ajudado a sensibilizar a cadeia do milho e das carnes, que há necessidade de se adotar alguma providência para a manutenção dessa atividade, especialmente em SC, pois a escassez do milho tem preocupado criadores e agroindústrias aqui instalados. Não apenas o preço tem provocado dor de cabeça afetando os custos de produção e, em consequência, o mercado final das carnes, mas também a insuficiência do produto para atender as demandas.

Nas entrelinhas da reunião, ficou claro que já há a sensibilidade por parte das agroindústrias que alguma coisa a mais precisa ser feita para suprir a falta do grão, sob pena de ver os parques agroindustriais se evadirem para o Centro Oeste ou outras regiões em que o milho tem melhor logística. Até mesmo aqueles que no ano passado ignoravam a necessidade de se implantar um programa de compras antecipadas, pagando preços justos ao produtor para incentivar o plantio, e que argumentavam que se faltar milho aqui traria do exterior, especialmente da Argentina e dos Estados Unidos com certa facilidade, mudaram o discurso diante das dificuldades burocráticas e de custos, e passaram a defender que precisa resolver o nosso problema, mesmo que parcial, por aqui.

Há certa consciência que o milho do Centro Oeste terá outros destinos, isto é, exportado pelo tal Programa Calha Norte de portos com custos de escoamento mais convidativos, e isso afetará a transferência aqui para a região Sul, que é a maior consumidora do produto. Foi estimulado ao Canal Rural a criar algum projeto de estímulo à produção de milho no Cone Sul para abastecer a nossa região, isto é, produzindo nos estados sul-brasileiros, mas também nos países do MERCOSUL, que estão mais próximos, como Paraguai, Uruguai e Argentina.

Outro ponto enfocado e que será objeto de análise de proposta de incentivo pelo canal de televisão será a diversificação de produtos para a formação das rações, evitando a necessidade de concentração do milho. Será incitada aos órgãos de pesquisa para mostrarem alternativas de grãos para a ração a fim de aproveitar outras épocas do ano para produção desse insumo destinado as criações de aves, suínos e gado de leite.

Embora pouco prestigiado no início está dando para sentir que água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, pois não é de hoje que a Secretaria da Agricultura e as cooperativas estão tentando motivar que os consumidores de milho, especialmente as agroindústrias, analisem compras antecipadas de milho com preços compensadores para que o agricultor passe a plantar mais, em área e em tecnologia para obter maior produtividade na mesma área.

Pouca atenção se deu a isso sempre com a desculpa de que milho existe no Brasil e que de um jeito ou de outro atenderia as demandas. Agora sentiram que além da oneração do transporte, estamos correndo riscos de perder o produto para as exportações e assim parece que estão dispostos a incentivar a produção local e buscar alternativas. Melhor que seja assim, pois do contrário, muitas indústrias tendem a padecer e a cadeia de carnes em SC poderá se comprometer em futuro não tão distante. Pense nisso.

Turma do JovemCoop e Núcleo Juvenil da Cooperitaipu visita Lar dos Idosos em Pinhalzinho
Publicado em: 09/04/2018

Cerca de 30 jovens, entre eles participantes do Núcleo Juvenil e da atual turma do JovemCoop, estiveram em visita ao Lar dos Idosos em Pinhalzinho. A programação faz parte das atividades planejadas pelos jovens do Núcleo a serem executadas no ano de 2018.

Além de levar mais alegria, amor e carinho aos idosos do Lar, a visita também teve por objetivo conhecer o trabalho que é desenvolvido pelos profissionais que atendem estes idosos. Na oportunidade, cada jovem levou algo para os vovôs e vovós do Lar, como pães, cucas, bolos, bolachas, frutas, ovos de chocolate e casquinhas com cricri fazendo alusão a Páscoa.

A visita foi acompanhada pelas coordenadoras da Cooperitaipu Gilda S. Valente e Rosangela Royer que na ocasião enfatizaram a importância da visita, “foi muito emocionante e reflexiva para os jovens, ali tivemos a oportunidade de reforçar para eles a importância de valorizar seus pais e avós. É importante que os jovens se espelhem em seus pais e tenham a certeza de que eles fazem tudo pelo bem dos seus filhos sempre”.

A Cooperitaipu continuará atendendo aos jovens do Núcleo Juvenil durante todo ano com várias atividades como: visita a outro Núcleo Juvenil; visita a algumas filiais da Cooperitaipu e da Aurora, participação dos jovens no Dia C – Dia de Cooperar, palestras sobre cooperativismo, entre outras atividades.

No período da tarde deste mesmo sábado, após o almoço servido na SER Itaipu, os jovens se organizaram e jogaram futebol, integrando mulheres e homens de uma forma muito divertida.

Arno Pandolfo presidente da Cooperitaipu reforçou a importância dos jovens serem assistidos e orientados, “eles serão os futuros líderes e associados da Cooperitaipu e os sucessores das propriedades rurais e, portanto, precisam sentir na pele como é importante valorizar seus antepassados e respeitar seus pais e superiores”, explica o presidente.

Fonte: Cooperitaipu

Senar/SC qualifica gratuitamente mais de 4.500 profissionais do meio rural
Publicado em: 09/04/2018

Oportunizar a qualificação no meio rural é uma das prioridades do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC). Mensalmente a entidade oferece treinamentos totalmente gratuitos a produtores e trabalhadores rurais de todo o território catarinense. Somente no mês de abril serão 285 cursos que beneficiarão cerca de 4.560 profissionais do meio rural.

O presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC José Zeferino Pedrozo ressalta a preocupação em oportunizar a melhoria da qualidade de vida no campo, bem como o aumento da produtividade e da renda das propriedades rurais catarinenses. “É por meio da educação que o desenvolvimento é possível. As tecnologias mudam constantemente e interferem diretamente no dia a dia no meio rural. Estimulamos o constante aprimoramento através dos cursos que são oferecidos gratuitamente”, destaca.

Para participar os produtores devem procurar o Sindicato Rural de seu município e informar o curso de interesse. As capacitações estão disponíveis no site do SENAR/SC (www.senar.com.br) com especificação de carga horária, local e data de realização.

Entre os cursos programados para a região Norte estão os treinamentos em operação e manutenção de motosserra no corte de árvores e prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho rural que serão promovidos, respectivamente, no período de 09 a 11 nos municípios de Joinville e Mafra. Nos dias 16 e 17 ocorre em Irineópolis a capacitação em conservação do solo na fumicultura. O município de Canoinhas terá nos dias 23 e 24 a qualificação em reflorestamento. Nos dias 25 e 26 o curso de cultivo de plantas medicinais será realizado em Itaiópolis.

No Vale do Itajaí ocorre nos dias 18 e 19 o treinamento em primeiros socorros no município de Massaranduba. Nos dias 19 e 20 serão desenvolvidas, respectivamente, em Rodeio e Vidal Ramos as capacitações em produção caseira de massas para congelamento e jardineiro. A qualificação em bordado com patchcolagem está programada para o período de 23 a 25 em Leoberto Leal. Nos dias 25 e 26 os municípios de Bombinhas e Santa Terezinha terão os cursos de turismo rural – produtos artesanais como recursos turísticos e instalação e manutenção de redes elétricas.

Para a região Sul está prevista a qualificação em fluxo de caixa da atividade em Paulo Lopes no dia 09. O município de Araranguá terá no período de 09 a 13 o curso de rédeas. A capacitação em processamento de carne de frango será promovida nos dias 18 e 19 em Maracajá. No período de 23 a 25 ocorre, em Grão Pará, o treinamento em segurança e saúde no trabalho com agrotóxicos.

Para a região serrana está previsto o curso de inclusão digital rural (iniciação à informática) nos dias 09 e 10 em Campo Belo do Sul. Nos dias 11 e 12 será promovido em Bom Retiro o treinamento em processamento de carne de frango. A capacitação em operação e manutenção de microtratores será realizada em Alfredo Wagner nos dias 12 e 13. Urubici terá no período de 23 a 27 o curso de doma racional de equídeos. Nos dias 26 e 27 Otacílio Costa receberá o treinamento em cultivo protegido de hortaliças.

No Meio Oeste nos dias 09 e 10 Treze Tílias terá o treinamento em aumento da produtividade do mel. O município de Caçador contará com a qualificação em organização da propriedade rural – programa 5S nos dias 17 e 18. O curso de processamento de carne suína será promovido nos dias 23 e 24 em Capinzal. A capacitação em emissão de nota fiscal eletrônica será promovida em Arroio Trinta no dia 25.

Para a região Oeste o município de Chapecó receberá nos dias 23 e 24 o curso de tecnologia de aplicação de agrotóxicos.

No Extremo Oeste ocorrerá no município de São Lourenço do Oeste no período de 11 a 13, a capacitação em produção caseira de pães e biscoitos. A qualificação em aproveitamento integral de alimentos será realizada em São Miguel da Boa Vista nos dias 12 e 13. Dionísio Cerqueira receberá nos dias 23 e 24 o curso de derivados do leite.

Fonte: MB Comunicação

Canal Rural avalia resultados do Projeto Mais Milho de SC
Publicado em: 09/04/2018

Aconteceu na semana que passou, no gabinete do Secretário da Agricultura em Florianópolis, uma reunião com as lideranças do agronegócio que apoiaram o Projeto Mais Milho, cujo Fórum aconteceu no mês de fevereiro em Concórdia, uma iniciativa do Canal Rural. O objetivo do encontro foi conhecer os resultados do evento.

Na ocasião, os representantes do Canal Rural apresentaram os números apurados, demonstrando que este terceiro Fórum realizado em SC foi o mais expressivo e prestigiado pelo público e pelas lideranças.

O presidente do Canal Rural Júlio Cargnino participou pelo Skype, direto de SP, destacou que o Canal ficou muito satisfeito com a repercussão do evento, traduzido em audiência da TV e com o prestigiamento da presença de mais de 400 pessoas no auditório do Instituto Federal Catarinense de Concórdia, e um expressivo número de participações através das mídias sociais pela TV, demonstrando o alto grau mobilização realizado em SC e o grande interesse pelo problema do milho.

Júlio enfatizou que somente em SC se observa a grande integração entre os órgãos de interesse pelo agronegócio, dos produtores aos consumidores de milho, dos órgãos de representação institucionais e o setor público, todos engajados em resolver o problema de abastecimento do milho em SC.

O presidente do Canal Rural ressaltou que o veículo continua aberto para outros eventos dessa natureza, para o milho ou outros produtos agropecuários, como estimulador e incentivador para resolução dos problemas do setor.

Durante a apresentação dos dados do Fórum de Concórdia foram levantadas propostas para que sejam promovidos outros encontros com lideranças para levantar alternativas de resolução dos problemas de insumos para a cadeia das carnes e leite em SC, para fazer parte do próximo Fórum, previsto para o início do próximo ano em SC.

Participaram da reunião, além do secretário Airton Spies; o ex-secretário Moacir Sopelsa; o presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo; o diretor executivo do Sindicarne, Ricardo de Gouvêa; o superintendente da Ocesc, Neivo Panho; o diretor executivo da Fecoagro, Ivan Ramos; o secretário adjunto da Agricultura, Athos de Almeida Lopes Filho e representando o Canal Rural a gerente Comercial Luciene Kolbe e Marlon Web.

Fonte: Fecoagro/SC

Sicredi adere ao ‘Programa Menos Juros SC’
Publicado em: 09/04/2018

O sistema de cooperativas de crédito Sicredi, com mais de 3,7 milhões de associados em 21 estados brasileiros, assinou um Termo de Cooperação Operacional dentro do ‘Programa Menos Juros SC’ com o Governo Catarinense, representado pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca do Estado de Santa Catarina. “É um estímulo para que os associados do Sicredi alavanquem os investimentos na produção e expansão da agricultura e agroindústrias familiares em Santa Catarina”, salienta Márcio Port, vice-presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste.

Por conta de sua história de 115 anos, construída pelas mãos de pequenos e médios produtores rurais, o Sicredi busca sempre conduzir suas estratégias de ações para que produzam efeitos positivos e diretos nas comunidades onde está presente. “Este termo de cooperação endossa o posicionamento do Sicredi de ser um agente que promova desenvolvimento e crescimento socioeconômico nas comunidades de atuação das cooperativas”, explica Port.

O Programa ‘Menos Juros SC’ tem por objetivo subsidiar parte dos juros pagos nas operações de investimento realizadas no âmbito do Pronaf, desde que enquadradas tecnicamente pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca do Estado de Santa Catarina por meio de projeto técnico aprovado junto a EPAGRI.

A Secretaria da Agricultura e da Pesca do Estado de Santa Catarina, subsidiará o pagamento de juros, limitado a 2,5% ao ano (independente da taxa de juros contratada com o Sicredi), até o teto de R$ 100 mil pelo prazo máximo de oito anos.

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,7 milhões de associados, que exercem o papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi possui 116 cooperativas em 21 estados, possui 1.575 agências e gera 22,8 mil empregos diretos em 1.212 municípios no país. Em 199 municípios brasileiros, o Sicredi é a única instituição financeira presente.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sicredi

Fonte: Assessoria Interna
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000