Notícias
04 | Abril
Manchete do Dia 04/04/2018
Programa Resenha do Cooperativismo e Agronegócio do Canal Rural apresenta matéria sobre Mulheres de Fibra do Amazonas
Publicado em: 04/04/2018

O Sistema OCB, com o objetivo de disseminar o cooperativismo pelo País, lançou a web série “SOMOS COOP” que apresenta histórias de destaque onde o cooperativismo muda realidades das comunidades e das pessoas.

Um dos episódios veiculados pela OCB do projeto SOMOS COOP apresenta a história de lideranças femininas que fazem diferença no Norte do País. MULHERES DE FIBRA é o título, que foi veiculado pelo Canal Cooperativo, parceiro da Fecoagro, e que o programa Resenha do Cooperativismo e Agronegócio do Canal Rural vai apresentar nesta quinta-feira, a partir das 6 horas da manhã.

O mesmo programa que enfoca outros assuntos como a produção de aguardente em SC; a polinização do maracujazeiro e o ciclo de palestras promovido pela Cravil de Rio do Sul, também serão apresentados pela TV COOP nesta quinta-feira às 13 horas.

Acesso da TV COOP pela Internet www.fecoagro.coop.br ou pelos aplicativos da TV COOP nos celulares e tablete. Vale a pena conferir.

Fonte: Fecoagro

Aurora Alimentos concede férias coletivas à unidade de Abelardo Luz (SC)
Publicado em: 04/04/2018

A Cooperativa Central Aurora Alimentos (Chapecó/SC) torna público que dará férias coletivas à unidade industrial de abate de processamento de aves de Abelardo Luz (SC) no período de 1º a 30 de junho deste ano.

A referida planta industrial emprega 1.391 trabalhadores e abate 33,5 milhões de frangos por ano, o que representa 13,4% do abate total da Aurora.

De acordo com comunicado oficial da cooperativa, a medida tornou-se necessária em razão do difícil momento que vive o setor de produção de proteína animal no Brasil desde agosto do ano passado.

A empresa começa a adotar os procedimentos para implementar a medida a partir de abril, pois são necessários cerca de 63 dias para diminuir a geração de ovos férteis, a produção de pintainhos, o alojamento e o abate, harmonizando essas fases com a suspensão das atividades da unidade que entrará em férias coletivas.

De acordo com a Aurora Alimentos, muitas indústrias avícolas (pertencentes a várias companhias brasileiras) foram desabilitadas a exportar para a Europa desde o último bimestre de 2017. No mesmo período, a Rússia, que representava um grande comprador de produtos cárneos, suspendeu as importações. A conjugação desses dois episódios produz o efeito de oferta excessiva e deterioração de preços.

Por outro lado, o suprimento do milho, um dos principais insumos da avicultura industrial, passa por um período de retenção especulativa, cujo efeito é o inflacionamento artificial de seu preço. Essa situação agrava as dificuldades do setor e força as agroindústrias a obter no exterior o milho para a manutenção dos quase 520 milhões de aves alojadas em todo o País.

“Em consequência desse cenário, grande parcela da produção nacional destinada à exportação acabou permanecendo no mercado doméstico. Nesse estágio, a capacidade de armazenagem à frio, própria e de terceiros, chega ao seu limite, tornando-se imperiosa a necessidade de reduzir temporariamente a produção”, informa a cooperativa.

A Aurora Alimentos ainda indica que avaliará e decidirá em junho se haverá necessidade de colocar uma segunda planta industrial em regime de férias coletivas. Enquanto isso, diz esperar que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa, Brasília/DF) e o Ministério das Relações Exteriores obtenham sucesso na defesa técnica e política do setor da proteína animal, buscando o restabelecimento dos fluxos comerciais internacionais tão duramente conquistados pela indústria brasileira da carne.

Fonte: VS Comunicação

Comissão de Agricultura debate estratégias para suprir abastecimento de milho
Publicado em: 04/04/2018

A Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Natalino Lázare, esteve reunida para discutir a problemática do abastecimento do milho em Santa Catarina.

O deputado Natalino Lázare acredita que existe sim uma “crise do milho”, causada por diversos fatores, entre eles está a falta de uma logística adequada para que o grão produzido no Brasil chegue ao Estado catarinense. “Nós consumimos o dobro do que é produzido aqui e a produção do Centro-Oeste brasileiro está direcionada cada vez mais para o Norte do País. Outras questões são as condições precárias de logísticas, em especial na aduana de Dionísio Cerqueira que dificultam a importação do milho de países como Argentina e Paraguai”, explica o parlamentar.

O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi, destacou que há um crescimento constante da produção de milho no Brasil, mas as integrações têm um alto consumo e a destinação do grão para a fabricação de etanol aumentam a preocupação neste contexto.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedroso, lembrou que a situação do milho é crônica que existe há anos. “O produtor de milho sofreu uma frustração na safra passada, porque acreditaram em um preço futuro que infelizmente não aconteceu. É preciso ter um maior engajamento entre todos os agentes dessa cadeia produtiva para superar esta situação”, afirma.

O secretário de Agricultura e da Pesca, Airton Spies, aponta que a alta nos preços do grão influenciam diretamente a competitividade das agroindústrias instaladas no Estado.

Os preços costumam interferir também na próxima safra de milho. Normalmente, em anos em que o preço é baixo, como foi 2017, os produtores acabam não investindo na produção de milho e buscando culturas mais rentáveis, o que diminui a oferta do grão no País. Em Santa Catarina, as lavouras de milho encontram dois fortes concorrentes: a soja e o milho silagem, utilizado na alimentação de bovinos de leite.

A Comissão de Agricultura e Política Rural estabeleceu que será criado um grupo de trabalho, formado pelos integrantes da Comissão, Secretaria da Agricultura além de representantes de produtores e da agroindústria para criar estratégias que preservem o preço mínimo do milho, que aumente a oferta, e as garantias nesse processo de fornecimento do grão no Estado.

Fonte: Gabinete Dep. Natalino Lázare

Fórum Nacional de Presidentes do Sicredi reúne 150 pessoas
Publicado em: 04/04/2018

O Sistema de Cooperativas de Crédito Sicredi realizou em Porto Alegre o Fórum Nacional de Presidentes do Sicredi. O evento reuniu 150 representantes, entre eles, os presidentes das 116 cooperativas de crédito e das cinco centrais que integram o Sistema, além de outras lideranças e convidados, para debater alinhamentos estratégicos da instituição financeira cooperativa, assim como temas ligados ao setor financeiro e ao segmento do cooperativismo de crédito.

Além dos debates e de palestras, algumas atividades marcaram o encontro, como a inauguração do Pátio Raiffeisen, em seu Centro Administrativo, na capital gaúcha. O espaço foi criado com o propósito de valorizar a história do cooperativismo de crédito e o legado de seus precursores. Para isso, homenageia Friedrich Wilhelm Raiffeisen, Padre Theodor Amstad e Mário Kruel Guimarães com bustos em bronze fundido. Friedrich Wilhelm Raiffeisen, nascido há 200 anos e criador do modelo que inspirou a maioria das cooperativas de crédito no mundo. O Padre Theodor Amstad, fundador da primeira cooperativa de crédito brasileira, que deu origem ao Sicredi, em 1902, em Nova Petrópolis (RS); e Mário Kruel Guimarães, precursor do cooperativismo de crédito contemporâneo que deu origem à organização sistêmica das cooperativas do Sicredi, também foram homenageados.

“Os precursores quando criam algo ou fundam uma entidade pensam na eternidade e cabe a nós dar condições de perenidade. Temos o dever de dar a maior longevidade possível para os seus ideais e realizações”, destacou Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ e conselheiro do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu).

Também participaram da solenidade Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB); Fernando Dall’Agnese, presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste; Harold Paquete Espinola Filho, chefe de departamento de supervisão de cooperativas e instituições não bancárias do Banco Central; Jaime Chávez Suarez, presidente da Federação Colombiana de Cooperativas de Poupança e Crédito e Financeiras (Fecolfin), presidente da Cooperativa de Poupança e Crédito na Colômbia (Comultrasan), e conselheiro da Woccu; Bento Venturim, presidente do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito, presidente da Central Sicoob Espírito Santo; Henrique Castiliano Vilares, diretor presidente do Sicoob; Luiz Edson Feltrim, ex-diretor de administração do Banco Central; Vergílio Perius, presidente da Ocergs; Kedson Pereira Macedo, diretor presidente da Confebras; Léo Trombka, coordenador nacional do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Crédito da OCB; Romeu Ribeiro de Barros, superintendente de operações da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos; João Tavares, presidente executivo do Banco Cooperativo Sicredi; Clarisse D’ávila Guimarães, filha de Mário Kruel Guimarães, além de outros representantes do Banco Central, dirigentes do Sicredi, entre outros convidados.

Durante o Fórum, também foi lançado o selo postal comemorativo em homenagem aos 200 anos de Raiffeisen, uma parceria do Sicredi com os Correios. Mil selos foram distribuídos aos presidentes e autoridades presentes na cerimônia.

Fonte: Sicredi

As grandes estrelas do Universo Feminino do Sicoob MaxiCrédito
Publicado em: 04/04/2018

Dois encontros regados de boas energias, muitas informações e reflexões. Foi assim que aconteceu o Universo Feminino do Sicoob MaxiCrédito, um momento especial, de homenagem para as mulheres que fazem a diferença no dia a dia da cooperativa. O primeiro evento reuniu as colaboradoras, associadas delegadas e esposas dos delegados da região do Vale do Itajaí e Litoral, em Blumenau, e o segundo evento as mulheres da região Oeste, em Chapecó, que juntas somaram 511 participantes.

Na programação, palestras que levaram conhecimento e enalteceram o papel da mulher tanto na cooperativa, na família, como também na sociedade. Para a diretora Administrativa e palestrante do dia, Adriana Spolti Grigol, a cooperativa tem uma preocupação especial em compartilhar conhecimento com as pessoas que fazem a diferença no dia a dia.

Sobre o papel da mulher, a diretora Adriana frisou a preocupação em contribuir com a sociedade e colocar um toque de amor em cada ação. “Nós, enquanto mulheres temos uma sensibilidade ímpar, pela forma que trabalhamos, pela sutileza que fazemos muitas coisas. Por isso, independente do que nos propomos a fazer, não podemos esquecer do sentimento enraizado em nós”, declarou Adriana.

A atração principal ficou por conta da palestra show de Roselei Angst, com o tema Mulheres de Fé e de Flores. Aliando música e boas histórias, Roselei transmitiu ao público o quanto a mulher deve ser respeitada, pela sua história, pelos seus valores, e o quanto deve viver e valorizar os momentos com as pessoas que ama.

Durante as palestras o papel da mulher foi abordado como um dos principais pilares para a formação da sociedade. Na opinião da associada Ines Justina Pertile Guizzo, esposa de um dos conselheiros de administração, a mulher tem uma preocupação especial quando o assunto é família. “Ela é o fundamento, mas como mãe ela também é o esteio”, disse.

Para a assessora jurídica, Morgana Camatti, a mulher tem um sentimento diferente, sendo mais acolhedora e muitas vezes agindo como mãe das pessoas que a cercam. “A mulher tem uma visão e uma percepção diferente, não tão racional, mas sim de entender o todo de uma situação. Muitas vezes temos o pulso firme, mas também compreendemos o outro. Por isso, podemos dizer que a mulher é cooperativista em todos os sentidos”, destacou Morgana.

É o que também afirma a associada delegada da agência Avenida do Estado, em Balneário Camboriú, Carmen Lucia Sedrez Reis. “A mulher é um norte da família, da sociedade, do prédio onde mora. Ela é cooperativa, é o coração do cooperativismo, ela convence mais, conversa mais e tem um papel primordial nisso tudo”. Mas, as mulheres não podem esquecer que quando as coisas são construídas de forma conjunta, elas acontecem de forma melhor, conforme afirma a associada delegada de Massaranduba, Marlise Deretti Tironi: “juntando a visão que o homem tem, com a visão da mulher, com certeza, vamos longe”.

Na avaliação do evento a opinião foi unânime: um momento importante de valorização de cada uma, com palestras esclarecedoras, e um sentimento de gratidão. ”A cada ano o Universo Feminino tem nos surpreendido mais. Como mães, saímos de casa e deixamos nossos filhos e quando chegamos aqui e vemos tudo isso, a emoção, é muito maravilhoso”, disse a auxiliar de cadastro Rafaela Paula Pierezan.

O evento teve o intuito de contribuir para a valorização da mulher, proporcionando um momento para se ver se uma forma diferente, se valorizar, ver o que realmente cada uma é.

“Acredite em você. Quando vocês se olham no espelho tenho certeza que vocês veem mulheres batalhadoras e guerreiras. Olhem a beleza das rugas, olhem a beleza da sua história”, frisou a diretora Adriana. “Que nós mulheres sejamos de fato o equilíbrio que a sociedade precisa, que nós sejamos a coragem e a razão na medida certa e que nós entendamos o nosso verdadeiro papel, pois nós temos a missão de fazer a diferença”, finalizou.

Fonte: Sicoob MaxiCrédito – Assessoria de Comunicação

Fonte: Assessoria Interna
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000