Notícias
06 | Março
Manchete do dia 06/03/2018
2017, marcante e atípico
Publicado em: 06/03/2018

Romeo Bet, presidente da Cooperalfa

Um ano atípico, de muito trabalho e dedicação extra, por conta das comemorações relativas aos 50 anos da Cooperalfa. Este foi 2017! Estou muito feliz por tudo o que marcou a data, as campanhas, os shows, prêmios, o livro, plantio de árvores, projetos bem pensados e organização adequada, com larga visibilidade nacional e impacto positivo na sociedade.

De outra parte, prevaleceu a insegurança advinda do universo político e econômico, prejudicando planos de investimentos. Juntos, ultrapassamos tudo isso. Apesar de não alcançarmos os R$ 3 bilhões de receita bruta desejada, sobretudo pela queda de preço dos cereais, pela baixa comercialização dos grãos pelos associados e redução de valores de alguns insumos, geramos 4,4% de sobras líquidas e isso nos deixou realizados. Conseguimos obter bons resultados aliados à operacionalização de nossa estratégia de expansão.

Acertamos com a entrada no Mato Grosso do Sul. Lá, temos muito campo a expandir. Em suínos, necessitamos crescer junto a Aurora Alimentos e avançarmos em grãos, fertilizantes e defensivos. Com prudência, iniciamos em 2017 firme atuação no Rio Grande do Sul. Nas regiões de origem da Cooperalfa, mantivemos a segurança, desenvolvemos projetos de qualificação, prestamos assistência técnica, ampliamos a industrialização, devolvemos cota-capital e, aos poucos, estamos efetuando as melhorias apontadas pelos associados.

O episódio “Carne Fraca” prejudicou as agroindústrias. A suinocultura e a avicultura exportaram menos. Houve suspensão de embarques e posterior queda de preços no mercado interno. De outro lado, a alto volume de produção depositada na cooperativa, mais de 5 milhões de sacas, revela que o setor agrícola está capitalizado.

A Cooperalfa é sólida. É elevada a confiança do associado para com sua entidade, de modo especial com o Conselho de Administração. O desafio é continuarmos presentes, perto do associado. Trabalhamos para que as pessoas que estejam à frente da cooperativa não percam a essência.

Os monopólios se fortalecem a cada dia. Isso preocupa. Há uma invasão de empresas estrangeiras no Brasil, as quais buscam autoproteção. A visão imediatista da nova geração também precisa ser debatida. O associado precisa ter um olhar mais amplo sobre a gama de benefícios, participando mais. Se um dia a cooperativa desaparecer, ele vai sentir. A cooperativa é uma necessidade de primeira linha. Nosso sonho é que 100% dos cooperados valorizem o que é dele, que se sintam donos.

O associado pode esperar da cooperativa, manutenção da segurança financeira e dos projetos sociais, da comunicação autêntica e verdadeira, da qualificada assistência técnica e novos negócios.

Em investimentos, vamos melhorar o que já temos e continuarmos na busca de novas oportunidades. Os próximos anos serão energizados pela implantação da nova processadora de soja na LinhaTomazelli, Chapecó, pela consolidação no RS e MS. Que as décadas contadas de agora em diante, sejam tão prósperas quanto os primeiros 50 anos.

Mais de 300 pessoas passaram pelo campo demonstrativo da Coocam em Curitibanos
Publicado em: 06/03/2018

Um evento focado aos produtores, para receberem informações pontuais do setor, com apresentação dos últimos lançamentos e novas técnicas. Assim a Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam) cumpre com seu objetivo ao realizar os Dias de Campo em todas as filiais. Um projeto simples, prático e objetivo, como descreve João Carlos Di Domenico, presidente da Coocam. “As diversidades acontecem a cada safra e nos Dias de Campo nossa equipe de profissionais mostram as tecnologias disponíveis e as novas técnicas no manejo das culturas de verão, com foco direto no milho e soja”, reforça, João Carlos Di Domenico. Anualmente os eventos são realizados entre os meses de fevereiro e março.

Na filial de Curitibanos, aproximadamente 300 pessoas passaram pelo campo demonstrativo no último sábado entre os participantes estavam, autoridades como o presidente da Cidasc, Enori Barbieri; o secretário adjunto da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, prefeitos e vereadores, além dos produtores da região, colaboradores e imprensa.

Durante a abertura oficial, em seu pronunciamento Airton Spies enfatizou o trabalho do sistema cooperativista no estado de Santa Catarina. “As cooperativas agropecuárias fazem acontecer sendo base do sucesso do agronegócio brasileiro”. Sobre o Dia de Campo Coocam Spies acrescentou que a cooperativa mostra o nível de trabalho contínuo. “Esse esforço é necessário para que o homem do campo se mantenha competitivo na atividade”, disse o secretário adjunto da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca.

Já o vice-presidente da Coocam, Riscala Miguel Fadel Junior, falou do desenvolvimento e crescimento do setor, através da união. “Os lucros da cooperativa devem ser investidos. É assim que a Coocam atua nesses 25 anos, sempre reinvestiu seus lucros, pois, se os associados e produtores vão bem, a cooperativa também cresce”.

O prefeito de Curitibanos, José Antonio Guidi, reconhece o trabalho da Coocam no município destacando que grande parte da economia local vem do agronegócio. Além do tradicional almoço, neste ano a Coocam está servindo bolo nos Dias de Campo, uma forma de comemorar o aniversário da cooperativa com todos os produtores.

A equipe da TV Coop – Fecoagro/SC participou do Dia de Campo na filial de Curitibanos, com transmissão ao vivo. Assim como a imprensa local e regional participaram do evento. A Coocam encerra o calendário dos Dias de Campo 2018, no dia 10 de março, na filial de Lebon Régis (SC).

Os Dias de Campo Coocam têm formato diferente dos habituais. As visitas acontecem de uma forma designada, conforme a chegada dos produtores ao campo demonstrativo. Eles visitam os estandes das empresas parceiras, sempre em grupos e cada companhia faz suas explanações, apresentando todas as tecnologias e últimos lançamentos, tudo de forma muito explicativa. “Os produtores tem oportunidade de sanar todas as dúvidas de forma prática, simples e objetiva, sem perder a qualidade e o foco”, finaliza o presidente da Coocam, lembrando que o produtor não perde tempo e a cooperativa não tem grandes honoráveis, e assim mesmo, o evento é satisfatório e muito positivo.

Fonte: Coocam

Cartão BNDES Agro emitido pelo Sicoob está disponível para produtores rurais pessoa física
Publicado em: 06/03/2018

O produtor rural pessoa física já pode solicitar o cartão BNDES Sicoob Agro, emitido pelo Sicoob. Lançado em agosto do ano passado, o produto é mais uma importante ferramenta de fomento aos negócios no campo para os cooperados produtores rurais, principalmente pela acessibilidade, desburocratização e agilidade que o cartão proporcionará na disposição de recursos.

Com um pacote completo de soluções, que inclui a bandeira Cabal – da Cabal Brasil, empresa do grupo Sicoob – e o credenciamento de lojistas, o cartão possibilita o apoio financeiro para o custeio de safras, aquisições de implementos agrícolas, contratação de serviços técnicos, entre outros itens.
Segundo Marco Aurélio Borges de Almada Abreu, diretor presidente do Bancoob, o apoio ao produtor rural e aos seus negócios é um dos principais pilares no cooperativismo do Sicoob. “Hoje, por intermédio de outras linhas de financiamento do BNDES, disponibilizamos investimentos com ticket médio de pouco mais de R$ 90 mil. O novo cartão reúne toda a força do cooperativismo brasileiro e do BNDES em um só produto”, afirma o executivo.

Para Marcos Vinícius Viana Borges, diretor de Meios Eletrônicos de Pagamentos do Bancoob, agente financeiro do Sicoob e sócio controlador da Cabal Brasil, é um privilégio poder, mais uma vez, apoiar o BNDES em iniciativas como essa voltada à modernização e ao ganho de eficiência no financiamento do agronegócio brasileiro.

Desde 2012 a Cabal Brasil é autorizada a operar o Cartão BNDES para pessoa jurídica. Com a parceria, passou a ser a terceira bandeira licenciada pelo BNDES, se posicionando entre as principais do País.

Como solicitar
O produtor pessoa física interessado em obter o Cartão BNDES Agro pode fazer solicitação por meio do site www.cartaobndes.gov.br. Nas informações de cadastro é necessário o preenchimento de dados como CPF, ramo e atividade rural que faz parte. Para acessar a nova linha de crédito é obrigatório estar em dia com os tributos federais.

Fonte: SICOOB CENTRAL SC/RS

Cooperjuriti organiza comemoração ao cinquentenário
Publicado em: 06/03/2018

O ano de 2018 é emblemático para a Cooperativa Juriti. No dia 30 de março completa meio século de existência. A constituição foi formalizada no dia 30 de março de 1968, com 57 agricultores reunidos em assembleia geral, que foram responsáveis pela montagem da infraestrutura necessária ao funcionamento da Cooperativa e desenvolvimento de seus negócios por meio do fornecimento de insumos, assistência técnica, recebimento, beneficiamento, armazenamento e comercialização de arroz produzido pelos seus associados.

A compra do engenho de arroz da Cerealista Primo possibilitou a Cooperativa iniciar as atividades industriais no dia 2 de janeiro de 1969. A comemoração da data não será no dia 30 de março, que coincide com a Sexta-Feira Santa, mas antecipada para o dia 23, quando ocorre a assembleia geral anual de prestação de contas para os associados. De acordo com o presidente Orlando Giovanella, no período da tarde será realizada a assembleia e em seguida homenagem aos fundadores ainda vivos e aos familiares dos demais. Em seguida haverá jantar para associados, colaboradores e convidados e encerra com baile animado pela banda Os Montanari.

Durante o ano será preparado o livro dos 50 anos, contando a história da linha do tempo, incluindo as festividades do jubileu de ouro. A entrega aos associados será feita no mês de dezembro.

Fonte: Cooperjuriti

Sescoop fará pesquisa socioeconômica do Cooperjovem
Publicado em: 06/03/2018

As cooperativas acreditam que a cultura da cooperação é uma das melhores formas de construir um mundo mais justo, feliz e equilibrado. Com base em seus princípios, elas trabalham para mostrar à sociedade que o cooperativismo é o modelo mais capaz de aliar desenvolvimento social e desenvolvimento econômico.

Uma das ações implementadas aqui no Brasil com esse propósito é o programa Cooperjovem, criado em 2007 pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) para disseminar a cultura da cooperação, com base em uma prática pedagógica cooperativa, reflexiva, consciente e criativa.

Graças ao Cooperjovem, o cooperativismo já faz parte do currículo de 600 colégios brasileiros, beneficiando mais de 100 mil alunos que aprendem, na prática, o poder transformador da cooperação. Vale destacar que o programa já foi abraçado por 80 cooperativas, sendo realizado por mais de 2,6 mil professores.

PESQUISA

Onze anos depois, o Sescoop quer saber como o Cooperjovem tem ajudado no desenvolvimento das cooperativas brasileiras. Em função disso, coordenadores do programa nos estados de SP, SC, PE, MS e PR, além de representantes da unidade nacional do Sescoop, se reuniram na última semana, em Brasília para discutir a realização da pesquisa de impacto social desse programa, demonstrando seus retornos econômicos (custo-benefício), financeiros (custo-eficácia e eficiência) e sociais (equidade). A pesquisa ocorrerá em 14 estados.

Para Geâne Ferreira, gerente de Desenvolvimento de Cooperativas, a avaliação de impacto social da atuação do programa Cooperjovem favorecerá aferir a sua operacionalização, em todo o Brasil. “Conhecendo essas informações será possível fortalecer o programa por meio de parcerias já existentes e novas, trabalhar estratégias de comunicação e melhorar o que for possível para assegurar a eficácia socioeconômica do Cooperjovem”, comenta a gestora.

O cooperativismo já faz parte do currículo de 414 colégios brasileiros. Nessas escolas, mais de 80 mil alunos estão aprendendo, na prática, o poder transformador da cooperação. Tudo isso graças ao Cooperjovem, programa que está transformando a realidade de muitas instituições de ensino, de Norte a Sul do Brasil.

Basta entrar em uma escola vinculada ao Cooperjovem para perceber a diferença. Nessas instituições imperam a harmonia e o trabalho em equipe. Professores, alunos e a própria comunidade são estimulados, diariamente, a vivenciar valores importantes, e muito conhecidos por todos os cooperativistas, como: cooperação, voluntariado, solidariedade, autonomia, responsabilidade, democracia, igualdade e equidade, honestidade e ajuda mútua.

Fonte: Assessoria de Imprensa OCB

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000