Notícias
20 | Fevereiro
Manchete do dia 20/02/2018
Começa nesta quarta feira em Concórdia o Tecnoeste 2018 e também o Fórum Mais Milho do Canal Rural
Publicado em: 20/02/2018

Começa nesta quarta feira em Concórdia o Show Tecnológico do Oeste Catarinense – TECNOESTE, organizado pela Copérdia e pela Escola Agrícola do Instituto Federal Catarinense, Campus de Concórdia. A solenidade de abertura com a presença de autoridades e lideranças será às 10 horas da manhã, junto ao parque no Colégio Agrícola de Concordia, no distrito de Santo Antonio. A TVCOOP/SC vai transmitir ao vivo a solenidade de abertura, a partir das 9h30.

Já á tarde a partir 13h30 começa o Fórum Mais Milho, edição 2018, promovido pelo Canal Rural. O canal vai transmitir ao vivo a partir das 14 horas.

A Fecoagro também terá reunião às 8h30, nesta quarta feira em Concórdia. Os conselhos de administração e fiscal, integrados por dirigentes das 11 cooperativas que fazem parte da federação se reunirão na sala de reuniões do stande institucional da Copérdia, no Parque Tecnológico do Tecnoeste para a reunião ordinária que tratará dos assuntos rotineiros da Federação. Participam dos conselhos da Fecoagro, presidentes e dirigentes de todas as 11 associadas.

Fórum Mais Milho

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) estão apoiando a realização do Fórum Mais Milho em SC, que o Canal Rural realizará dia 21 próximo, a partir das 13h30, no auditório do Instituto Federal Catarinense, em Concórdia.

O presidente da Faesc José Zeferino Pedrozo está recomendando aos Sindicatos Rurais e seus produtores para que participem do Fórum Mais Milho e para tanto devem fazer suas inscrições grátis pelo site do Canal Rural.

O programa TVCOOP/SC entrevista com Dolmar Frizon, que irá ao ar nesta terça-feira às 14h, pela TV COOP, vai apresentar entrevista com o presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, e com o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca Moacir Sopelsa, e com o diretor executivo do Sindicarne, Ricardo de Gôuvea que falaram sobre a promoção e a importância do evento em SC.

José Zeferino Pedrozo conclamou aos agricultores para que participem do Fórum:

Nós da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina e do SENAR, que somos parceiros desde a primeira edição deste Fórum do Milho, queremos fazer um chamamento muito sincero e de interesse dos nossos produtores para que compareçam a este evento na cidade de Concórdia, para estimularem uma atividade tão importante para o nosso Estado. Também terão a oportunidade ímpar de colocar ideias, opiniões, para que Santa Catarina aumente a produção de milho e não fique como está atualmente, e que promete ser mais grave no próximo ano dependendo de ir buscar milho em outros estados. Levar a nossa riqueza, pagar ICMS lá em outro Estado.

Fica então o convite da Federação da Agricultura e também do SENAR de SC para que você prezado produtor catarinense compareça em Concórdia no dia 21, às 13h30. Sua participação é muito importante”.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca Moacir Sopelsa, que está apoiando a realização do Fórum Mais Milho de Concórdia, também conclamou aos agricultores para que se inscrevam através do site do Canal Rural para participarem do evento da próxima quarta-feira, que é muito importante para o agronegócio de SC:

“Sem dúvida nenhuma uma importância muito grande. Primeiro o evento da Tecnoeste que se consolida cada ano que passa realizado pela Copérdia em Concórdia. Em segundo o Canal Rural que vai estar transmitindo o Fórum do Milho onde poderemos discutir situações importantíssimas para Santa Catarina, além da nossa produção, da valorização da nossa produção, também a infraestrutura e a segurança do abastecimento de milho daquilo que Santa Catarina não produz para o consumo.

Então, é bom que os técnicos participem, que as cooperativas participem, que as indústrias participem, mas especialmente o nosso produtor. Queremos deixar aqui um convite e a importância de estar presente no dia 21, às 13h30, no Instituto Federal Catarinense em Concórdia para participar do Fórum Mais Milho. É importantíssima a participação de todos. Nós nos envolvemos pensando na importância da produção de milho em Santa Catarina e a consolidação da produção de suínos, da produção de aves e da produção de leite” .

O Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados de Santa Catarina (SINDICARNE) e a Associação Catarinense de Avicultores (ACAV) também estão apoiando a realização do Fórum Mais Milho em SC.

As agroindústrias são as principais consumidoras de milho, e têm interesse na oferta do produto para aumentar a produtividade em SC, para diminuir a dependência de trazer milho de outros estados e até de outros países.

O diretor executivo do SINDICARNE é pessimista quanto à autossuficiência em SC, mas reconhece que há condições de reduzir a dependência com o aumento da produtividade.

“Acho que o Fórum é o grande momento que nós podemos estar discutindo e tratando de como Santa Catarina pode ser abastecida de milho uma vez que aqui estão as maiores agroindústrias e a maior produção de proteína animal do Brasil. Santa Catarina pode melhorar muito em produtividade, mas dificilmente vai chegar à autossuficiência da produção de milho.

Nós temos hoje uma carência de quase 4 milhões, de 3,5 a 4 milhões, é a produção quase do Paraguai todo, então para chegar a esta produção com uma autossuficiência é muito difícil. Precisamos sim buscar outras alternativas de um país que é um dos grandes produtores de milho, não dá para dizer que no próprio Brasil vai faltar milho. Temos que viabilizar uma forma, talvez a longo prazo, de trazer a um custo mais barato o milho do Centro-Oeste através de via férrea ou de outra forma”.

Fonte: Fecoagro/SC

Cidasc contrata mais 228 servidores aprovados em concurso público
Publicado em: 20/02/2018

Foi publicado no Diário Oficial do Governo do Estado de Santa a resolução que autoriza a contratação de 228 novos servidores para a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina-Cidasc. Serão contratados 50 médicos veterinários e 178 auxiliares operacionais aprovados nos concursos 001 e 002 de 2016. A contratação será realizada de forma gradativa, sendo 50% do quantitativo em março de 2018 e os outros 50% em julho de 2018.

De acordo com o presidente da Cidasc, Enori Barbieri, a contratação de médicos veterinários e auxiliares operacionais representa um reforço na equipe técnica da Cidasc, ampliando a capacidade do Estado de preservar a saúde pública, executar ações de sanidade animal e coibir entrada e disseminação de pragas e doenças nas lavouras e pomares do Estado.

“Para manter o status de único Estado do Brasil livre de febre aftosa sem vacinação e o status de zona livre de peste suína clássica, precisamos de uma estrutura adequada e de técnicos capacitados. O Governo do Estado está cumprindo um compromisso que assumiu com o setor, garantindo as condições favoráveis para o fortalecimento e desenvolvimento da agropecuária catarinense”, disse Barbieri.

Os médicos veterinários irão coordenar a execução dos programas sanitários nacionais e estaduais, orientar produtores e cidadãos, fiscalizar o cumprimento de normas, além de inspecionar produtos e subprodutos de origem animal e desenvolver atividades de educação sanitária. Os resultados dessas ações beneficiam diretamente mais de 200 mil produtores em Santa Catarina e garantem o acesso dos produtos catarinenses a mais de 150 mercados de consumo.

Fonte: Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc)

Bayer faz novas concessões por aprovação de acordo com Monsanto
Publicado em: 20/02/2018

A multinacional alemã Bayer informou, que fez concessões adicionais aos reguladores da Comissão Europeia, como parte da oferta de US$ 63,5 bilhões para adquirir a multinacional norte-americana Monsanto. A Bayer destacou, ainda, que apresentou soluções “muito significativas” para o órgão europeu e está confiante de que as concessões eliminem totalmente as preocupações do regulador.

Em comunicado, a Comissão Europeia afirmou que a revisão do acordo de compra foi postergada para 5 de abril, após as novas concessões da Bayer que foram realizadas. Tanto a empresa quanto o órgão europeu não forneceram maiores informações sobre as concessões.

Fonte: Estadão

China amplia compra de carne suína catarinense
Publicado em: 20/02/2018

China se consolida como principal mercado para carne suína catarinense. Em janeiro, o Estado faturou US$ 20 milhões com as vendas para o mercado chinês – mais do que o dobro da receita em dezembro de 2017. No último mês foram embarcadas 9,7 mil toneladas de carne suína com destino ao país asiático – 110,5% a mais do que em dezembro. A ampliação das vendas para a China acabou contribuindo para que Santa Catarina entrasse em 2018 com saldo positivo nas exportações de carne suína.

Em janeiro, o Estado embarcou 25 mil toneladas do produto, 10,2% a mais do que no último mês de 2017. O faturamento com as vendas internacionais também teve alta de 4,2% e fechou em US$51,3 milhões.

Em comparação com janeiro de 2017, os embarques de carne suína tiveram uma pequena queda tanto na quantidade (-1,7%) quanto no faturamento (-6,7%). O que pode ser explicado pela suspensão das vendas para Rússia, maior comprador da carne suína catarinense no último ano (102 mil toneladas).

Com a saída temporária da Rússia, a China passou a ser o maior mercado para a carne suína produzida no Estado. Em relação ao primeiro mês de 2017, as vendas para o mercado chinês foram 69,6% maiores em janeiro e o faturamento aumentou em 71,9%.

Santa Catarina segue como o maior produtor e exportador de carne suína do País. O Estado foi responsável por 46,9% de toda carne suína vendida pelo Brasil em janeiro.

Segundo o secretário de estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, o agronegócio vem conquistando cada vez mais espaço na pauta de exportações catarinenses, resultado da qualidade e da sanidade dos rebanhos. “O agronegócio faturou US$ 5,5 bilhões com as exportações em 2017, isso foi 65% do total exportado pelo Estado. É um desempenho incrível. As carnes produzidas em Santa Catarina têm um grande diferencial que é a sanidade dos nossos rebanhos e isso nos dá acesso aos mercados mais exigentes do mundo. Nosso desafio é manter esse status sanitário diferenciado e ampliar nossas vendas ao exterior”.

Os principais mercados para carne suína catarinense nesse início de ano foram China, Hong Kong, Chile e Argentina.

O mês de janeiro teve queda nas exportações de carne de frango. Ao todo, o Estado vendeu 69,6 mil toneladas e faturou US$ 120 milhões em janeiro. Uma redução de 11,6% na arrecadação e de 6,4% na quantidade – em relação a dezembro.

Quando comparado com o mesmo período de 2017, a queda é de 17,6% no faturamento e de 13,9% na quantidade. O Estado respondeu por 22% das exportações brasileiras de carne de frango em janeiro. Os principais mercados para a carne de frango catarinense foram: Japão, Emirados Árabes e Arábia Saudita.

Como grande exportador de carnes, Santa Catarina interfere no desempenho nacional. Sendo assim, o País também registra uma redução nos embarques de carne suína e de frango em relação ao mesmo período de 2017. Em janeiro o Brasil embarcou 323 mil toneladas de carne de frango – 8,9% a menos – e 53,3 mil toneladas de carne suína – 15,8% a menos. O faturamento também foi menor, uma redução de 13,4% para carne de frango (US$ 512,7 milhões) e de 20,1% para carne suína (US$110,2 milhões).

Em 2017, foram 276,5 mil toneladas de carne suína vendidas para mais de 50 países. As receitas geradas com as exportações passaram de US$ 639,2 milhões. Os principais compradores da carne suína catarinense foram Rússia, China, Hong Kong, Chile e Argentina.

Ao longo do ano foram embarcadas 971 mil toneladas de carne de aves, com um faturamento de US$ 1,8 bilhão no último ano. A carne de frango produzida em Santa Catarina chegou a mais de 120 países e os principais compradores foram Japão, China, Países Baixos e Arábia Saudita.

Os números foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri).

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

Coopercarga 28 anos: história marcada por desafios e conquistas
Publicado em: 20/02/2018

Fevereiro é mês de comemorações na Coopercarga. Isso porque, no dia 09/02, a cooperativa comemorou seus 28 anos. Uma história que começou em 1990 com a união de 143 pequenos transportadores e que hoje já tem consolidada sua trajetória de força e evolução: de uma pequena cooperativa do Oeste catarinense para a 2ª melhor e 6ª maior empresa do setor de transporte do País.

“Nosso objetivo, desde a fundação da cooperativa, foi, através da força e da união de cada pequeno transportador, fortalecer o grupo como um todo”, conta Osni Roman, presidente da Coopercarga, ao lembrar o caminho percorrido durante estas quase três décadas: “A receita que nos foi ensinada pelo modelo cooperativo deu certo: menos de uma década depois de nossa fundação já estávamos totalmente inseridos no mercado nacional e internacional (Mercosul), atuando com operações logísticas completas para clientes dos mais diversos segmentos da economia, ofertando soluções em transporte (nacional e internacional), armazenagem, distribuição urbana, projetos logísticos customizados e postos de combustíveis”, comenta.

Mas é claro que esta evolução não veio ao acaso. Foi acompanhada por um dos grandes diferenciais desta cooperativa: uma gestão profissionalizada, cujo foco no desenvolvimento de seus públicos internos (cooperados, colaboradores e motoristas) buscou apostar em ferramentas e processos atualizados, sempre de acordo com as principais tendências do segmento. “Ter certificações confiáveis que norteassem nossos processos internos – como a ISO 9001, 14001 e SASSMQ -, treinamentos contínuos de toda equipe administrativa e operacional, investimentos constantes em tecnologia de ponta e foco total na qualidade do atendimento prestado ao cliente foi o que sempre nos diferenciou. Hoje, somos reconhecidos entre as maiores do setor não por casualidade, mas pela entrega total que todo o nosso time de colaboradores e cooperados sempre teve diante de nossos propósitos”, explica o presidente da cooperativa que, hoje, no seu setor, é a maior do País.

Segundo Osni, as conquistas não param e, para 2018, um crescimento contínuo e sustentável está projetado. “Relembrar nossa história e comemorar estes 28 anos nos traz muita felicidade. Mas não podemos e não queremos parar de evoluir. Nossas metas continuam audaciosas para 2018, sobretudo, buscando trazer crescimento e desenvolvimento aos nossos cooperados, satisfação e reconhecimento aos colaboradores e motoristas e, não obstante, um nível de serviço cada vez maior a ser oferecido aos nossos clientes”, finaliza.

Fonte: Coopercarga

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000