Notícias
13 | Fevereiro
Manchete do dia 13/02/2018
Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas 2018 do Sescoop já está disponível
Publicado em: 13/02/2018

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) já está disponibilizando as cooperativas um programa de desenvolvimento de gestão, feito sob medida.

Trata-se do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), cuja metodologia é pautada no Modelo de Excelência da Gestão® (MEG), desenvolvido pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), é um referencial na promoção da melhoria da qualidade da gestão e do aumento da competitividade das organizações.

Para melhorar continuamente a gestão das cooperativas, o PDGC é aplicado em ciclos anuais. Isso amplia o alcance das ações ligadas ao planejamento, à execução, ao controle e ao aprendizado dos anos anteriores.

Para o ciclo 2018, a unidade nacional do Sescoop já disponibilizou todo o material necessário e que poderá contribuir muito com a rotina de tomada de decisão e implantação de melhorias pelas cooperativas. Basta clicar aqui para acessar.

Como as unidades do Sistema OCB, do qual o Sescoop faz parte são autônomas, cada uma tem a liberdade para promover a divulgação do PDGC junto às suas cooperativas.

Fonte: OCB

Sicoob São Miguel apresenta case de sucesso em Brasília
Publicado em: 13/02/2018

O Sicoob São Miguel participou do Workshop de Boas Práticas de Gestão e Governança 2018. O evento foi realizado em Brasília, na sede da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), e faz parte das ações do Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativa (PDGC).

As profissionais Andreia Moraes e Fabiane Perassoli apresentaram a prática referente à elaboração do Relatório de Gestão e Sustentabilidade do Sicoob São Miguel, com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), uma organização multistakeholder, sediada na Holanda, que regula o conjunto de diretrizes internacionais mais utilizadas na atualidade para a elaboração de relatos de sustentabilidade.

Para Andreia, a elaboração do relatório constitui em um importante instrumento de comunicação e gestão, “construído dentro de diretrizes claras, reconhecidas internacionalmente, o relatório é uma ferramenta importante para o Sicoob São Miguel, além de ser um fator de valorização de suas ações e difusão da cultura cooperativista. Ainda, o processo permite conhecer dos pontos de atenção e identificar oportunidades de melhoria”, destaca.

O Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) é um dos programas do Sescoop voltados ao desenvolvimento da autogestão das cooperativas. A iniciativa é pioneira no mundo e tem se tornado exemplo para outros países cujo objetivo principal é promover a adoção de boas práticas de gestão e de governança pelas cooperativas.

A metodologia desse Programa está pautada no Modelo de Excelência da Gestão® (MEG) da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), que é um modelo referencial utilizado para promover a melhoria da qualidade da gestão e o aumento da competitividade das organizações. O Programa é aplicado em ciclos anuais, visando à melhoria contínua a cada ciclo de planejamento, execução, controle e aprendizado. Mais informações: http://pdgc.somoscooperativismo.coop.br/o-programa.

Fonte: Sicoob São Miguel

Estado precisa de uma legislação severa contra os maus-tratos aos animais domésticos
Publicado em: 13/02/2018

Um vídeo gravado no Vale do Itajaí tem gerado indignação e tristeza. As cenas mostram um cão amarrado no para-choque de um carro sendo puxado pela rodovia, em Timbó. O caso foi registrado na Polícia Civil e será investigado.

O presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa, deputado Natalino Lázare, afirma que a Legislação precisa ser severa diante dos casos de maus-tratos, como este apresentado no vídeo, e que Santa Catarina precisa urgentemente de uma política pública para a proteção dos animais domésticos.

“Está em tramitação na Alesc, um projeto de lei de minha autoria que dispõe sobre a criação do Código Estadual de Proteção aos Animais Domésticos, estabelecendo normas para a proteção dos animais domésticos compatibilizando os aspectos relacionados às políticas públicas, ao desenvolvimento socioeconômico, à saúde pública e meio ambiente. Tenho buscado informações, subsídios, experiências e cases para a criação de legislação e implantação de uma política pública específica e funcional para resolver o problema dos animais domésticos (principalmente cães e gatos) que são abandonados nas ruas e áreas rurais dos municípios catarinenses”, ressalta o deputado Natalino Lazare.

O parlamentar viajou a Blumenau, em agosto do ano passado, para conhecer a experiência bem-sucedida do Centro de Prevenção e Recuperação de Animais Domésticos, o Cepread, que é um case de sucesso em Santa Catarina. “Também realizei uma reunião com representantes de ONGs na região de Videira e quero destacar que sugestões são muito bem-vindas”, afirma.

Fonte: Gab. Dep. Natalino Lázare

Devido a mau tempo implantação do Corredor do Milho é adiada
Publicado em: 13/02/2018

As fortes chuvas que caíram no Paraguai atrasaram as obras de melhorias da rodovia de acesso ao porto paraguaio de Itapua e determinaram o adiamento da implantação da conexão transfronteiriça batizada de Corredor do Milho. O início das operações estava previsto para o dia 9 deste mês de fevereiro e, agora, foi adiado em 30 dias, data a ser confirmada pelos três países envolvidos: Brasil, Argentina e Paraguai.

A conexão transfronteiriça, também conhecida como a Nova Rota do Milho, surgiu, em 2016, no Núcleo Estadual de Integração da Faixa de Fronteira de Santa Catarina, iniciativa do Governo catarinense, do Sebrae/SC e das entidades ligadas ao agronegócio.

O projeto consiste em buscar no Paraguai o milho para abastecer a imensa cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura industrial catarinense. Dois aspectos tornam essa iniciativa importante e prioritária. A primeira é que Santa Catarina tem um déficit anual de 3 milhões e toneladas de milho, matéria-prima que precisa ser importada para suprir as necessidades da agroindústria da carne. O segundo aspecto é que a nova rota encurtará em pelo menos 1.500 quilômetros a distância entre a região consumidora (Oeste catarinense) e a região fornecedora, no Paraguai.

Santa Catarina é o maior importador de milho do País e, atualmente, adquire a maior parte do grão em Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul, distantes 2.000 quilômetros.

Com a implantação do Corredor do Milho, o produto seguirá o seguinte roteiro, o qual passará a ser conhecido como Corredor do Milho: será adquirido nos Departamentos de Itapua e Alto Paraná (Paraguai), passará pelo porto paraguaio de Carlos Antonio Lopez, atravessará o rio Paraná em balsas, entrará em território argentino pelo porto de Sete de Agosto e seguirá até a divisa com o Brasil, sendo internalizado pelo porto seco de Dionísio Cerqueira.

Muitas ações, articulações e contatos foram desenvolvidos nos últimos dois anos para viabilizar o corredor, relata um dos primeiros apoiadores do projeto, o coordenador regional Oeste do Sebrae, Enio Alberto Parmeggiani. A primeira etapa conquistada foi a autorização da concessão da entrada do produto paraguaio pela Argentina, cujo fato já está consolidado. Todas as licenças e autorizações dos governos envolvidos já foram emitidas. O Paraguai, inclusive, acaba de autorizar a circulação em suas rodovias de caminhões bi-trem, de maior tonelagem.

Ainda serão necessárias obras de infraestrutura como a implantação de pontes, rodovias e melhoria dos serviços de suporte nas passagens entre os países envolvidos, aspectos que são vinculados a acordos de cooperação. Parmeggiani realçou que o corredor viabilizará o crescimento do agronegócio e que o processo desencadeado tem etapas para seu aperfeiçoamento e fluidez. Outro desafio é a simplificação dos processos relativos à participação dos pequenos negócios na composição deste novo cenário econômico do território.

Participam das tratativas para a viabilização institucional e econômica do Corredor do Milho o Fórum de Competitividade e Desenvolvimento para o Oeste de SC, o Bloco dos Prefeitos do Mercosul (BRIPAM), as Associações dos Municípios do Oeste de Santa Catarina, a FACISC, a FIESC, a ACAV, a Fecoagro/SC, Assembleia Legislativa, Agências de Desenvolvimento Regional com apoio técnico do SEBRAE/SC, entre outros parceiros.

Fonte: Avicultura Industrial

ADM deve anunciar aquisição da Bunge
Publicado em: 13/02/2018

A trading norte-americana de grãos Archer Daniels Midland (ADM) pode fechar um acordo para adquirir a rival Bunge brevemente informou a agência de notícias Bloomberg, citando fontes.

As ações da Bunge chegaram a subir mais de 5 por cento nos negócios pré-mercado. A ADM, que deve divulgar seus resultados, registrou avanço de mais de 1 por cento.

A Agência de Notícias Reuters, citando uma fonte, informou no mês passado que a ADM havia feito uma proposta pela Bunge.

O potencial acordo vem em um momento em que grandes operadoras de grãos lidam com preços baixos das commodities por causa de anos seguidos de grande produção.

Margens apertadas prejudicaram as operações das tradings, incluindo as da ADM, Bunge, Cargill e Louis Dreyfus Company (LDC), que juntas formam o chamado “ABCD” e dominam o comércio internacional de grãos.

Com sede em Nova York, a Bunge, que refutou uma proposta de aquisição da Glencore no ano passado, opera em mais de 40 países e é o maior exportador de produtos agrícolas do Brasil. Já a ADM, com base em Chicago, opera em 160 países.

A Bunge tinha um valor de mercado de 11 bilhões de dólares, enquanto a ADM, 23 bilhões de dólares.

Uma porta-voz da ADM disse que a empresa não comenta “rumores ou especulações”. Já a Bunge não quis falar a respeito.

Fonte: Reuters

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000