Notícias
12 | Fevereiro
Manchete do dia 12/02/2018
A profissionalização das cooperativas catarinenses
Publicado em: 12/02/2018

Luiz Vicente Suzin – presidente da OCESC e do SESCOOP/SC

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) – vinculado à Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc) – foi constituído em 1999 e consolidou-se como o grande propulsor para a profissionalização do sistema cooperativo catarinense. A partir de 2000, estruturou-se em equipamentos, materiais e pessoal para a consecução dos objetivos propostos. Atuando nas áreas de formação profissional, promoção social e monitoramento, tem importância singular na difusão da cultura cooperativista. O Sescoop é uma entidade integrante do “Sistema S”, mantida com recursos de natureza pública com gestão privada que organiza, administra e executa o ensino de formação profissional e a promoção social dos dirigentes, do quadro funcional e dos cooperados.

As metas do Sescoop estão focadas na busca incessante da profissionalização da gestão das cooperativas para atendimento das exigências do mercado, além de contribuir para o aprimoramento do processo de planejamento estratégico e participativo nas cooperativas.

Nos mercados onde atuam, as cooperativas precisam ser eficientes e competitivas como as empresas mercantis porque a beleza e a importância social de sua doutrina não as protegem dos rigores e da hostilidade própria do universo econômico.

Em 2018, mais de 37 milhões de reais serão investidos pelo Sescoop, tendo seus principais programas situados nas linhas de formação e capacitação profissional, promoção social, monitoramento e desenvolvimento de cooperativas, ações centralizadas, ações delegadas, auxílio educação, programa Cooperjovem, programa jovens lideranças cooperativistas (JovemCoop), mulheres cooperativistas, jovem aprendiz, Programa de Desenvolvimento da Gestão de Cooperativas (PDGC), formação para conselheiros administrativos e fiscais para cooperativas de crédito (FORMACRED), monitoramento e auditoria em pequenas cooperativas etc.

A evolução com sustentabilidade das cooperativas deve-se muito à atuação do Sescoop, que prioriza o quinto princípio do cooperativismo mundial – educação, a formação e a informação. Educação e cooperativismo formam um binômio inseparável especialmente porque se adota o conceito pleno da educação continuada.

Dirigentes, conselheiros, associados e suas famílias são o público-alvo da educação cooperativista que tem como matéria-prima do conhecimento todos os temas da atualidade, desde a doutrina, a legislação, o mercado, a economia nacional, até os desafios da transnacionalização da economia e da competição global, passando pela inovação e atualização tecnológica, aperfeiçoamento profissional dos cooperados etc.

A ação do Sescoop é essencial para manter Santa Catarina – com seus mais de 2 milhões de cidadãos cooperados – na vanguarda do cooperativismo brasileiro.

Precisamos ajudar a consertar este país
Publicado em: 12/02/2018

Por Ivan Ramos – diretor executivo da Fecoagro/SC

Os conhecidos ditados populares “Chegamos ao fundo do poço”, e ou “Ainda há uma luz no fim do túnel”, que são expressados para manifestar alguma situação de preocupação, indignação ou esperança de resolução de algum problema, estão bem presentes no atual momento brasileiro. Nosso país tem enfrentado crises assustadoras provocadas pelo comportamento de nossos governantes, com a ajuda de uma boa parcela da população, que ignora o conjunto e preocupa-se com o seu. Felizmente, ainda temos pessoas que está enfrentando os problemas em busca de solução para o país e não apenas para alguns.

A corrupção que está presente especialmente na área política e administrativa dos órgãos públicos, começa a ser eliminada e os números divulgados são assustadores, principalmente se compararmos com valores financeiros convividos pela maioria da população.

A par dos desvios, das falcatruas, da dilapidação dos recursos públicos de forma ilegal ou imoral, também temos benesses de algumas categorias, que embora conseguidas de forma legal, tem consumido muitos recursos públicos de forma indecorosa, se compararmos os direitos da maioria da população.

Infelizmente o corporativismo de algumas categorias tem conquistado vantagens, por serem mais organizadas e conseguido eleger lideranças políticas que defendem os seus interesses.

O caso do déficit da Previdência é o exemplo mais gritante. Existem muitas controvérsias sobre os recursos arrecadados e os gastos dispendidos. Independentemente do valor, está muito claro que há um tratamento diferenciado entre algumas categorias, especialmente entre servidores públicos e aposentados do setor privado, e nessa entram os agricultores, o que têm prejudicado a disponibilidade financeira para atender a todos.

É lamentável que poucos políticos estejam engajados em resolver um problema que no futuro vai afetar a todos os aposentados. A reforma da Previdência é inevitável, mas as categorias privilegiadas estão convencendo os políticos que não precisamos reformar. Os políticos estão defendendo a não reforma com medo de represália dessas categorias nas próximas eleições. Outros estão em cima do muro, para não se comprometer publicamente e outros estão até mentindo sobre a realidade da reforma ao ser contra, só para manter benesses de alguém de seu interesse.

Informações divulgadas recentemente, tem político dizendo que os agricultores serão prejudicados com a reforma. A proposta em discussão no Congresso não altera em nada para os agricultores, portanto, quem está afirmando o contrário está sendo desonesto e oportunista.

A reforma da Previdência é importante e precisa ser aprovada, para segurança de todos os aposentados no futuro. A população precisa se engajar nisso, e todos aqueles que têm alguma liderança no seu meio precisam se manifestar e esclarecer essa necessidade.

O que se recomenda é para que a população fique atenta na posição de cada deputado que vai votar nesse projeto. Se for contra, está defendendo privilégios; causas individuais e não coletivas e não está pensando no país, na maioria da população. Esses políticos precisam ter a rejeição do eleitorado na próxima eleição. Só assim mudaremos nosso país. Chegamos ao fundo do poço, mas ainda há uma luz no fim do túnel. Pense nisso.

SENAR/SC oferece 40 cursos gratuitos para produtores rurais na região Oeste
Publicado em: 12/02/2018

O fluxo de caixa é fundamental para a gestão e para o sucesso de uma propriedade rural. Estruturar as finanças, controlar as entradas e saídas, planejar e acompanhar os resultados são essenciais para a saúde financeira das empresas rurais. Preocupado em capacitar profissionais do meio rural o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC) órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) oferece o curso que será realizado dia 16 no município de Faxinal dos Guedes e em Ipumirim nos dias 19, 20, 21, 22, e 23.

Além do treinamento em fluxo de caixa o Sistema FAESC/SENAR-SC oferecerá, neste mês, outros 34 cursos na região Oeste do Estado. Aproximadamente 640 produtores, trabalhadores e empresários rurais serão beneficiados com os cursos que são totalmente gratuitos. Informações e dúvidas sobre o local e horários podem ser esclarecidos diretamente com os Sindicatos Rurais.

Para participar os produtores devem procurar o Sindicato Rural de seu município e informar o curso de interesse. As capacitações estão disponíveis no site do SENAR/SC (www.senar.com.br) com especificação de carga horária, local e data de realização.

Fonte: MB Comunicação

Epagri recebe R$ 3 milhões em convênios com o Mapa
Publicado em: 12/02/2018

A Epagri recebeu aporte de recursos de R$ 3 milhões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) referente a cinco projetos na área de extensão rural. Adicionando as contrapartidas da empresa, o valor global dos investimentos alcança R$ 3,161 milhões. O valor será destinado à capacitação de jovens rurais e a melhorias em três centros de treinamento. “Esses recursos vieram para equipar e fortalecer nossos centros como unidades modelo onde os agricultores poderão observar o conjunto de tecnologias disponíveis para cada atividade”, explica Paulo Lisboa Arruda, diretor de Extensão Rural da Epagri.

Dois dos projetos vão qualificar 350 jovens agricultores e pescadores do Estado em 2018 e 2019. Serão R$ 1,7 milhão destinados a 13 cursos nos centros de treinamento da Epagri, com duração de 220 horas cada, focados em três temas centrais – produção, organização e protagonismo.

Os cursos tratam sobre liderança, gestão e empreendedorismo e também abordam áreas específicas, como bovinocultura de leite, de corte e olericultura. Até hoje, a Epagri formou 1.800 jovens em todo o Estado. “Com as atividades dos próximos anos, queremos totalizar 2,3 mil famílias alcançadas indiretamente”, diz o diretor de Extensão.

Nos centros de treinamento, os valores repassados serão usados ao longo dos próximos três anos. O Centro de Treinamento da Epagri de Tubarão (Cetuba) recebeu R$ 600 mil para a criação de uma Unidade Didática de Gado de Corte. O dinheiro será usado em estruturas de piqueteamento, melhoramento de pastagens e instalações antiestresse, atendendo às normas de bem-estar animal. A unidade servirá para analisar resultados técnicos e financeiros da atividade e realizar cursos e dias de campo para produtores, apresentando os resultados das tecnologias aplicadas.

O Centro de Treinamento de Videira (Cetrevi) recebeu R$ 400 mil para criar uma Unidade de Referência em Produção Integrada (PI) de pêssego e uva.

Com o investimento de R$ 416.671,32 do Mapa, o Centro de Referência Tecnológica do Leite, em Campos Novos (Cetrecampos), será reestruturado. Já estão instalados piquetes, cercas e mudas de eucalipto no local, e o dinheiro vai permitir construir instalações como sala de ordenha, sala de alimentação, esterqueira, sistema de biogás e aquecimento solar de água, tudo atendendo às normas de bem-estar animal.

Fonte: Epagri

Estão abertas as inscrições para o Selo Agro+ Integridade
Publicado em: 12/02/2018

Estão abertas as inscrições para o Selo Agro+ Integridade, prêmio de reconhecimento às empresas do agronegócio que adotam práticas de governança e gestão capazes de evitar desvios de conduta e de fazer cumprir a legislação, em especial a Lei Anticorrupção (Lei 12.846, de 1º de agosto de 2013).

O selo foi lançado em cerimônia no Palácio do Planalto, em setembro de 2017, pelo presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi.

As inscrições seguem até 31 de maio e serão feitas exclusivamente no site do Mapa por meio do link Questionário de Inscrição.

Estão aptas à premiação empresas do agronegócio de pequeno, médio ou grande porte, de qualquer ramo da cadeia produtiva – atuando de forma associada, consorciada ou não – inclusive as cooperativas.

As empresas poderão utilizar o selo em seus produtos e campanhas publicitárias pelo período de 1 ano. A premiação também servirá de apoio na demonstração de práticas de integridade para fins de empréstimos oficiais.

No período de março a maio, a Secretaria Executiva, responsável pela ação operacional do Selo Agro+ Integridade, acompanhará as inscrições, esclarecerá dúvidas e avaliará a documentação.

Em setembro, a seleção das empresas será homologada pelo Comitê Gestor do Selo, integrado por representantes do Mapa, Embrapa, Ministério da Transparência Controladoria Geral da União (CGU), Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), Confederação Nacional da Indústria (CNI), Brasil Bolsa Balcão (B3), Federação Brasileira de Bancos (Febraban) Instituto Ethos e Alliance for Integrity, entidade vinculada ao Governo da Alemanha.

A premiação será entregue oficialmente em Brasília no Dia da Agricultura, 17 de outubro.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Fonte:
Mais notícias
Cooperativa Agropecuaria Videirense

Avenida Dom Pedro II, 789
Caixa postal 127 - Videira Santa Catarina
Cep: 89560-000